Ministério da Saúde só gastou 29,3% de recursos para combater o coronavírus

Mesmo com o Brasil ocupando a segunda posição em número de casos (1,3 milhão) e de mortes (57,6 mil) provocadas pelo coronavírus, o ministério da Saúde só gastou até agora R$ 11,5 bilhões dos R$ 39,3 bilhões liberados pelo governo, o que representa 29,3% do total. Outros R$ 2,1 bilhões (5,3%) estão comprometidos com o pagamento de contas, mas ainda não saíram do caixa. Foi o que apontou o Painel do Orçamento Federal, elaborado com base nos dados mais recentes do Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (Siop), de 22 de junho.

"O Estado brasileiro é paquidérmico", afirmou o economista Felipe Salto, diretor executivo da Instituição Fiscal Independente (IFI), ligada ao Senado. "Da mesma forma como é difícil fazer um ajuste fiscal, não é fácil gastar rápido", acrescentou. O relato foi publicado no jornal O Estado de S.Paulo.

De acordo com dados do Painel do Orçamento, a União gastou R$ 177,4 bilhões (43,9%) dos R$ 404 bilhões liberados pelo governo em verbas adicionais para combate à Covid-19, incluindo recursos para aliviar seu impacto econômico e social. E R$ 121,6 bilhões (30,1%) foram empenhados para pagar contas pendentes. 

"Alguns programas são mais fáceis de agilizar o pagamento. Quando você tem de fazer uma transferência de renda para uma pessoa, é claro que tem toda a questão operacional, de como viabilizar isso, se vai ser pela Caixa, se será por meio de uma transferência bancária ou por meio de um cartão concedido a cada beneficiário. Mas, tirando isso, é uma coisa relativamente rápida", afirmou Salto.

"Agora, quando a gente está falando de saúde, é mais complicado, porque pode envolver contratos, compras, processos burocráticos. Por isso, o Congresso aprovou aquela PEC (Proposta de Emenda à Constituição) do Orçamento de Guerra, que acabou sendo promulgada, prevendo a possibilidade de dispensar as licitações para acelerar os processos de compras", complementou.

Segundo o dirigente, "está faltando gestão" na Saúde. "É claro que a gente vai saber melhor o que está acontecendo depois, quando o TCU (Tribunal de Contas da União) fizer uma apuração dessa letargia", disse. "Mas o que dá para dizer desde já é que o Estado brasileiro não está preparado para fazer gastos com eficiência. Infelizmente, a gente está vendo isso da pior forma possível".

 

Brasil247


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.