Brasil lidera e covid-19 registra novo recorde no mundo em 24 horas

Seis meses depois de o mundo registrar oficialmente o primeiro caso da Covid-19, o surto ganha a cada dia mais força. Dados publicados neste domingo pela OMS revelam um número inédito de novos casos em 24 horas. No período avaliado pela entidade, foram 189 mil casos extras, com o Brasil liderando as infecções e mortes.

Nesta semana, a agência mundial da Saúde vai marcar os seis meses do primeiro caso informado à entidade, em 31 de dezembro de 2019. Mas a marca será usada para que a cúpula da OMS alerte, nesta segunda-feira, que não há sinais de que a crise esteja perdendo força.

Um apelo será lançado a partir de Genebra para que governos assumam suas responsabilidades, superem divisões internas e estabeleçam acordos mundiais. Também haverá um pedido para que os estados insistam de forma significativa em testes e que medidas de proteção social e distanciamento sejam mantidas.

Para reforçar sua tese, a agência irá insistir sobre os números mais recentes, os piores desde o começo da crise.

Os dados da OMS estão defasados em pelo menos um dia, já que a agência precisa coletar as informações de 193 países para fazer seu mapa mundial. Por isso, de acordo com a entidade, o número oficial de casos ainda é de 9,8 milhões. Para outros bancos de dados, o total já superou a marca de 10 milhões e 500 mil mortos.

Com 46,8 mil casos, o Brasil é o líder mundial em número de novos casos no período de 24 horas. Os americanos vêm em segundo lugar, com 44 mil. Sozinho, o Brasil registrou quase três vezes o número diário da Europa, com 16,5 mil novos casos nas últimas 24 horas. O país, porém, representa apenas 2,3% da população mundial.

O recorde mundial supera outra marca também assustadora, registrada na sexta-feira. Naquele momento, foram 170 mil novos casos.

A OMS alerta que o mundo precisou de dois meses para atingir os primeiros cem mil casos, o que hoje ocorre em praticamente doze horas.

No que se refere ao número de mortes, o período de 24 horas somou 4,6 mil novos óbitos, com 990 deles ocorrendo no Brasil.

 

UOL


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.