Hospital Estadual de Rodrigues Alves fica seis dias sem enfermeiro no mês de janeiro

ASCOM/SINTESAC

Unidade mista de saúde da cidade está sem equipamentos e medicamentos de emergência e urgência. Sintesac vai ajuizar Ação Civil Pública para sanar problema.

A situação da saúde no interior do Estado continua assustadora e expondo a população local ao risco. Em Rodrigues Alves além de faltar equipamentos para os profissionais e medicamentos essenciais, falta até mesmo enfermeiros para atender a comunidade. A situação foi constatada pela comitiva do Sindicato dos Trabalhadores em Saúde do Estado do Acre (Sintesac). O sindicato vai ajuizar uma ação civil pública e também vai levar o caso ao conhecimento do Ministério Público do Estado (MPAC).

O presidente do Sintesac, Adailton Cruz, revelou ter a visita aos municípios do Juruá o objetivo de levar informações para os servidores da região, apresentando os avanços nas negociações salariais com o governo. Mas ao chegar em Rodrigues Alves os sindicalistas levaram um susto.

“Verificamos a falta de equipamentos, vimos a ausência de medicamentos urgência, como adrenalina, e de emergência, como soro e até esparadrapo. Mas um fato grave foi a unidade de saúde estar sem enfermeiro no dia da nossa visita e também em alguns dias alternados ao longo deste mês”.

Adailton revelou que a Lei 7498/86 exige a presença do enfermeiro nas unidades de saúde. “Passamos a escala para o jurídico do Sintesac e vamos entrar com uma ação civil pública para obrigar o governo a cumprir a lei e prestar o atendimento necessário para a população”, informou.

Além da ação judicial já em estudo pela assessoria jurídica do sindicato, o Sintesac encaminhou os fatos para o Conselho Regional de Enfermagem (Coren) e para o MPAC.

A equipe do Sintesac em visita do local foi composta pelo presidente Adailton Cruz, pelo tesoureiro, Juscelino Gonçalves, e com os representantes do sindicato nas cidades de Cruzeiro do Sul e Mâncio Lima.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.