Acre inicia vacinação contra a covid-19, primeiro a ser vacinado é um idoso residente do Lar Vicentinos de 85 Anos

Por Marcelina Freire

Após atrasos na chegada das doses de vacina contra covid-19, desembarcando em Rio Branco às 6h30 desta terça-feira, o Acre deu a largada para corrida da imunização. Por volta das 8h de hoje, sob aplausos e muita comemoração, a primeira pessoa a receber a primeira dose da vacina foi José Marcelino de Oliveira, 85 anos, que é morador da Casa do idoso, Lar Vicentinos. 

A cerimônia de abertura da campanha de vacinação aconteceu no auditório do Pronto Socorro de Rio Branco, pouco depois da chegada em solo acreano das 41 mil doses da vacina coronavac, produzida pelo laboratório Chinês Sinovac em parceria com Instituto Butantan. Também foram vacinadas mais três pessoas, todas profissionais de saúde do estado do Acre.

“Quero dizer que iniciamos esse processo de imunização, o governo não está medindo esforços e aqui ficou claro que quando há fé há um diálogo com todos  a gente remove montanhas e fica provado aqui por todos nós acompanhado, inicia-se hoje o processo de virada dessa página”, disse o governador Gladson Cameli.  

Apesar do clima de comemoração, o governador Gladson, reforçou o pedido para que as pessoas continuem com os cuidados para conter o avanço da doença.  “Convido a todos a me ajudarem a conscientizar as pessoas que a vacina chegou, e nós precisamos manter as regras, usando máscaras, lavando bem as mãos e usando álcool em gel 70” lembrou Cameli.

Quem são os primeiros acreanos a serem vacinados contra a Covid-19?

José Marcelino tem 85 anos de idade, morador da casa abrigo para idosos Lar Vicentinos foi o primeiro a ser imunizado no Acre.

Maria José Monteiro, enfermeira 66 anos, sendo 37 de serviço dentro do Pronto Socorro de Rio Branco. Começou a atuar na área de saúde em 1984 como auxiliar de enfermagem na sala de gesso. Graduada como Enfermeira no ano de 1998, passou a  atuar como enfermeira no Centro Cirúrgico do PS até a presente data.

Raimunda Gomes do Nascimento é técnica em enfermagem tem 69 anos, natural de Sena Madureira e deu início às suas atividades na área da saúde em 1983 como Operacional de Serviços Diversos (OSD) no Hospital de Saúde Mental do Acre (Hosmac).  Em 1991 foi lotada no Pronto Socorro de Rio Branco, onde está até a presente data. Fez curso de Auxiliar de Enfermagem pelo Instituto Nacional Brasileiro, complementação do curso de técnico em enfermagem pelo Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem (Profae) na escola Maria Moreira e atualmente cursa Gestão Pública na Faculdade UNINTER. Dona Raimunda foi vacinada pelo filho, James do Nascimento, que é técnico em enfermagem.

Elza Severino da Silva Manchineri, 49 anos, foi a quarta pessoa a ser vacinada, ela trabalha há 17 anos com Saúde Indígena, atuando na Aldeia Extrema do Yaco, da Terra Indígena Mamoadate, no município de Assis Brasil. Trabalhou como auxiliar de enfermagem e agora como técnica de enfermagem. Recentemente se formou em Enfermagem. Na Casa de Apoio ao Índio (Casai), Elza tem a responsabilidade de acompanhar os pacientes regulados pelos municípios para atendimento nas unidades hospitalares do Estado e durante a pandemia acompanha os casos de Covid-19 que chegam a Casai Rio Branco, tanto nas visitas médicas, quanto no acompanhamento pós internação dos pacientes.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.