Governo de SP vai apresentar índice de eficácia geral da Coronavac na terça

Estadão

O governo de São Paulo vai apresentar na coletiva de imprensa da próxima terça-feira, 12, os dados de eficácia geral da Coronavac, vacina contra o coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac e produzida no Brasil pelo Instituto Butantã. Na última semana, a gestão João Doria (PSDB) afirmou que o imunizante apresentava 78% de eficácia contra casos leves da doença e 100% contra os quadros graves e moderados.

De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Jean Gorinchteyn, os dados sobre eficácia geral da Coronavac estão em posse exclusiva do Butantã e da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “As pessoas estão cobrando mais transparência, mas nem eu nem o governador sabemos qual é esse número”, afirmou ao Estadão.

Na manhã desta segunda-feira, 11, a Coronavac foi aprovada na Indonésia, onde a taxa de eficácia geral, que leva em consideração todos os casos registrados durante a fase 3 de testes, ficou em 65,3%. O mínimo exigido pela Anvisa para que o imunizante seja aplicado no Brasil é de 50%.

Em entrevista ao Estadão, o infectologista Esper Kallas, professor da Faculdade de Medicina da USP e coordenador do centro de pesquisa da Coronavac no Hospital das Clínicas, afirmou que o índice de 78% apresentado pelo governo é apenas um recorte do estudo. A previsão do governo é que a campanha de vacinação no Estado comece no próximo dia 25.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.