Procon fiscaliza preços de medicamentos utilizados no tratamento de Covid-19

O Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon/AC), com apoio do Ministério Público do Acre (MPAC), realizou, entre os dias 1º e 7 de julho, fiscalizações em 60 distribuidoras e drogarias, situadas na cidade de Rio Branco.

O objetivo da operação foi detectar possíveis preços abusivos em medicamentos que combatem alguns sintomas do coronavírus (Covid-19), como vitamina C, amoxicilina, zinco, azitromicina, ivermectina, clexane, prednisolona, levofloxacina, nitazoxanida e dexametasona.

“Recebemos inúmeras denúncias de consumidores relatando que existem fornecedores agindo de má-fé, elevando os preços dos remédios básicos no combate à Covid-19 sem justificativa plausível. Com isso, organizamos as nossas equipes técnicas para fiscalizar os valores dos medicamentos vendidos nas farmácias”, destaca o diretor-presidente do Procon/AC, Diego Rodrigues.

Os estabelecimentos farmacêuticos que foram notificados pelo agentes fiscais possuem o prazo de cinco dias, a contar do recebimento dos autos, para encaminhar os devidos esclarecimentos ao instituto, que em seguida compartilhará com a Promotoria de Justiça Especializada em Direito do Consumidor do MPAC.

“Foram solicitadas as planilhas e notas fiscais que contenham os valores de compra e venda dos referidos medicamentos, para averiguar possíveis irregularidades na comercialização desses produtos. Caso confirmado, as empresas poderão sofrer medidas administrativas ou ser multadas”, informa o chefe de fiscalização do Procon/AC, Rommel Queiroz.

Paralelamente, outras frentes de fiscalização do órgão atuam na verificação da prática de preços abusivos em postos de combustíveis, unidades hospitalares, supermercados, granjas, distribuidoras de produtos perecíveis e demais ações pontuais, denunciadas pelos consumidores.

Reclamações ou denúncias podem ser feitas por meio dos contatos telefônicos do Procon/AC: (68) 3223-7000, de segunda a sexta-feira, das 8 às 13h, ou 151. Os cidadãos também podem descrever qualquer demanda para o e-mail: procon.acre@ac.gov.br

 

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.