Acre reduz casos de malária em mais de 27% em comparação ao primeiro trimestre de 2020

Agência de Notícias

O Acre apresenta uma redução de 27,7% nos casos de malária, no comparativo do primeiro trimestre deste ano com 2020. De acordo com o Boletim Epidemiológico da Diretoria de Vigilância em Saúde do Acre (DVS) da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), foram registrados 2.803 casos da doença nos três primeiros meses de 2020; já em 2021, foram 2.026 no mesmo período.

“Outro importante dado foi a redução significativa dos casos de malária falciparum, a espécie mais grave da doença, no comparativo de 2020, com 997 casos; e  2021, com número foi reduzido para 447”, explica o responsável da área técnica da malária da Sesacre, Dorian Jinkins de Lima.

Os números resultam de uma parceria com o governo federal, por meio do Programa Nacional de Controle da Malária do Ministério da Saúde, que oferece apoio ao governo do Estado para garantir o suporte aos municípios.

A Sesacre promove capacitações e monitoramento em conjunto com os municípios que atuam no combate à doença, por meio das ações da vigilância epidemiológica para auxiliar no diagnóstico oportuno e tratamento imediato.

“No dia 25 de abril é celebrado o Dia Mundial da Luta Contra a Malária e obter essa redução é algo muito positivo a ser comemorado, pois trata-se de um esforço conjunto para o controle efetivo da malária”, acrescenta Lima.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.