Senador vai pedir agilidade no cronograma das obra pautam reunião no Ministério dos Transportes

O senador Jorge Viana (PT) deve reunir-se com o Ministro dos Transportes, Paulo Passos, na próxima quinta-feira. Ele vai pedir agilidade na apresentação de um cronograma efetivo na execução de duas obras que, segundo ele, são fundamentais para o Estado do Acre: a recuperação da BR-364 nos trechos que foram alagados durante a cheia do rio Madeira e a ponte na região do Abunã.

"As consequências dessa cheia foram graves para economia do Acre. Ontem, conversei com o governador Tião Viana que esteve reunido com empresários, comerciantes, pessoas que trabalham no setor produtivo do Acre e que externaram preocupação com a execução dessas obras. Fiz um contato pessoal com o ministro Paulo Passos e acertei uma audiência na próxima quinta-feira", declarou o senador.

O senador antecipou que o início das obras da ponte depende de o nível das águas do rio Madeira baixar ainda mais. "A presidenta Dilma já garantiu os recursos no orçamento e já existe uma empresa contratada. Mas temos, agora, que aguardar o período da seca do rio para que as obras se iniciem", afirmou.
Sobre a recuperação dos trechos da BR-364, Viana defendeu urgência na execução dos trabalhos.

Ele relatou em discurso que a viagem de Porto Velho até Rio Branco ficou mais longa. "E cada uma ou duas horas a mais no transporte rodoviário significa um preço maior no custo do transporte, que implica diretamente no aumento do preço das mercadorias", argumentou.

Por fim, o senador falou sobre as dificuldades na execução dessas obras por elas estarem localizadas dentro do estado de Rondônia. "Eu sou senador do Acre. No nosso Estado, nós fizemos as principais pontes, construímos as principais rodovias, mas as obras que temos tão fundamentais hoje para o Acre estão dentro do Estado de Rondônia", explicou. "Estou cobrando do Ministério dos Transportes que nos apresente um cronograma de execução dessas duas obras fundamentais para o povo do Acre". [Assessoria Parlamentar]

Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.