Diretoria da Fecomércio/AC e CNC se unem contra recriação da CPMF

Diretores da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Acre (Fecomércio/AC), em reunião realizada nesta terça-feira, 8, questionaram a volta da Contribuição Promissória sobre Movimentação ou Transmissão de Valores e de Créditos e Direitos de Natureza Financeira (CPMF), um tributo de esfera federal.  Nas últimas semanas, o Governo Federal chegou a cogitar incluir, na proposta do Orçamento para 2016, a recriação da alíquota, extinta ao final de 2007.

O tema tem ganhado força em face à nova política econômica da União, que prevê corte de despesas e aumento da carga tributária com o intuito de gerar o superávit primário esperado. Segundo o presidente da Fecomércio/AC, Leandro Domingos, já é perceptível que a população brasileira não suporta, em suas próprias palavras, pagar impostos tão abusivos.

“O que se paga de imposto, no Brasil, está acima da capacidade contributiva da população, ocasionando falta de poupança capaz de gerar o crescimento tanto das pessoas quanto das empresas. O resultado disto é a falta de investimento, baixa produção e produtividade, além de deixar insatisfeitos todos os agentes envolvidos”, salienta Domingos.

A insatisfação geral se daria por conta do mau uso dos recursos arrecadados pela União sob a forma de tributos, ainda de acordo com a diretoria da Federação. “Grandes obras são construídas desnecessariamente, apenas para atender a interesses políticos ou de grupos. São despesas com máquina pública federal que se agigantam, sangrando os recursos que poderiam ser investidos em educação, saúde, infraestrutura nacional, capazes de dar base para o crescimento e desenvolvimento do setor produtivo nacional”, enfatiza o presidente.

Campanha contra CPMF

A reunião discutiu, ainda, a corrupção enraizada em estruturas administras nacionais, complementando um outro fator ensejador no aumento da carga tributária. “Diante deste cenário, a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo [CNC] e a Fecomércio/AC decidiram iniciar uma campanha contra a recriação da CPMF ou quaisquer outras formas de aumento de impostos, já que o Brasil possui uma das mais elevadas cargas tributárias do mundo”, enfatiza Domingos, relembrando que o Brasil não precisa aumentar a carga  tributária. “Precisa, sim, gerir com competência as verbas da União e combater fortemente a corrupção”, finaliza.

Assessoria


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.