Gladson garante apoio do governo para prefeitos de Acrelândia, Epitaciolândia e Porto Acre

O governador Gladson Cameli recebeu na noite desta terça-feira, 28, os prefeitos de Acrelândia, Ederaldo Caetano; Epitaciolândia, Tião Flores; e de Porto Acre, Bené Damasceno. Durante a reunião, os gestores apresentaram demandas e solicitaram o apoio emergencial do governo para a melhoraria dos municípios que administram.

A doação de massa asfáltica foi o principal pedido dos gestores ao governador Gladson Cameli. Segundo Tião Flores, “todas os veículos pesados do Brasil, Peru e Bolívia que circulam em nossa região passam pelas ruas de Epitaciolândia. Com as chuvas, nossas ruas estão bastante esburacadas e, se nada for feito, as carretas correm o risco de ficarem atoladas.”

A mesma situação também é enfrentada em Porto Acre. Além da massa asfáltica para a recuperação de vias urbanas do município e suas vilas, o prefeito pediu o apoio do Estado para a recuperação da rodovia AC 10. “Precisamos de 27 toneladas para tapar os buracos que se formaram por conta das chuvas e ainda uma atenção do governo nos trechos críticos da AC 10. Tenho tapado os buracos com barro, mas somente isso não resolve o problema”, explicou.

Ciente da situação, Cameli afirmou que as reivindicações são justas e que o seu papel como governador é auxiliar os 22 municípios. De imediato, Gladson pediu agilidade ao secretário de Infraestrutura, Ítalo César, e ao diretor-presidente do Departamento de Estradas e Rodagens do Acre (Deracre), Ronnan Fonseca, para atender aos pedidos dos prefeitos.

“Os prefeitos fizeram muito bem ao me procurar e relatar aquilo de mais urgente que os seus municípios estão precisando e que muitas vezes esses problemas não chegam ao meu conhecimento. Já solicitei dos nossos secretários que vejam isso com prioridade para que esses problemas sejam resolvidos o quanto antes. Quero esclarecer ainda que qualquer prefeito, seja ele aliado político ou não, o tratamento será igual porque o que me interessa é ajudar a nossa população”, pontuou o governador. 

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.