Ao Le Monde, Jorge Viana fala da mudança política no Brasil e diz que Acre ainda é referência lá fora

Por Wanglézio Braga

Um dos jornais mais importantes do mundo, o francês Le Monde, enviou um correspondente ao Acre para entrevistar o ex-governador e ex-senador do Acre, Jorge Viana (PT). Em sua rede social, Viana disse hoje (24) que o bate papo com os profissionais da imprensa girou entorno da situação do Brasil e enfatizou que o Acre, mesmo em tempos de pandemia, ainda segue como referência fora do país.

“Hoje, aqui em casa, eu recebi dois jornalistas, o correspondente do jornal Le Monde no Brasil, Bruno Meyerfeld, e o fotógrafo Avener Prado. Eles queriam me entrevistar e saber minha opinião sobre o que tá acontecendo no Brasil, sobre essas mudanças que tivemos na política, sobre as medidas do atual governo - que estão repercutindo no mundo inteiro - e queriam muito conversar sobre Amazônia e sobre o nosso Acre”, comentou.

Viana disse ainda que “Eu fico impressionado como nosso Acre, mesmo nesses tempos, ainda segue sendo uma referência dentro e fora do Brasil. Daí a responsabilidade de todos nós de tentarmos corrigir os erros e trabalharmos para recolocar o nosso estado no caminho do desenvolvimento sustentável e da prosperidade”.

No final de sua postagem, o petista comentou que é precisamos “acreditar que podemos construir um futuro melhor para todos”, mas não disse como isto é possível. “A conversa foi comprida e deve ser parte de uma matéria, de um dos jornais mais importantes do mundo, o Le Monde. Eu falei do passado, mas apontei pro futuro. É muito importante que, numa hora como essa, a gente tenha indignação com as coisas erradas, mas que também tenhamos coragem de lutar por dias melhores. Precisamos acreditar que juntos podemos construir um futuro melhor pra todos. Nosso Acre e nosso povo merecem, acreditem!”, concluiu. 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.