De olho no apoio de religiosos, Minoru e Duarte pedem a abertura das igrejas durante pandemia

Por Wanglézio Braga

Os pré-candidatos a prefeito de Rio Branco, Minoru Kinpara (PSBD) e Roberto Duarte (MDB), usaram as redes sociais ontem (22) para defender a abertura de igrejas e templos mesmo em tempo de Pandemia do novo coronavírus. Cada um, ao seu modo, justificou a abertura das atividades logo após a mudança de fase do “Pacto Acre sem Covid” que testa a flexibilização, abertura ou não das atividades no Acre.

O ex-reitor da UFAC, Minoru Kinpara, disse que “comércios, motéis, hotéis, shopping e várias outras atividades tiveram autorização para reabrir suas portas – caso seguissem, evidentemente, todos os protocolos de saúde pública. Entretanto, os templos religiosos não foram autorizados a reabrir. A pergunta que faço é: “Os espaços destinados às diversas manifestações religiosas não teriam condições de seguir todas as normas sanitárias?”.

Após o questionamento, ele diz que “apoia todas as medidas sanitárias e de salvaguarda da vida (...) Os templos religiosos têm um compromisso com a vida e não com a morte. Eles chegam muitas vezes nos locais em que o Estado não chegou. Contudo, é preciso sempre destacar que cabe às lideranças religiosas a escolha pela abertura ou não. O debate interno e o pensamento no bem comum sempre devem prevalecer”. E afirmou “nossos líderes têm sabedoria para fazer as escolhas corretas e no momento adequado”.

De acordo com o pré-candidato, “Os templos religiosos podem atender às medidas sanitárias, limitar o número de pessoas, distribuir álcool em gel, manter regras de distanciamento. Tudo isso em atendimento aos protocolos de saúde pública, à semelhança dos demais espaços que foram autorizados a voltar. Essa diferenciação nos critérios de aglomeração não pode existir. Por que o comércio, motéis e o shopping podem atender aos critérios sanitários e os templos não?”.

Por fim, ele escreveu que “em um momento como o que estamos passando de dificuldades, incertezas e dor, a fé é um refúgio para as nossas almas. Permitir a abertura dos templos religiosos é um compromisso de solidariedade, amor e respeito à vida”.

O QUE DIZ ROBERTO DUARTE ?

O atual deputado estadual da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac), Roberto Duarte, também manifestou sobre o assunto e sugere a abertura das atividades em templos religiosos. Para ele, a “igreja presta um serviço de extrema relevância na nossa sociedade. Além da fé e a busca pela salvação, as ações sociais e a recuperação de pessoas estão diretamente ligadas nos serviços prestados”.

Porém, Duarte diz que “a reabertura das igrejas deve ser debatida de forma respeitosa, na tentativa de buscar alternativas para que os fiéis voltem a participar dos cultos de maneira segura”.

Ele sugeriu “Cultos em drive-thru, abertura em dias pré-definidos, limitação de membros em 25% obedecendo as recomendações sanitárias, disponibilizando locais para higienização das mãos com água ou álcool 70%, podem ser alternativas para garantir um retorno gradual e seguro”.

Por fim, ele comentou que conversou com pastores, líderes religiosos conhecidos por pressionar o Governo e a Prefeitura de Rio Branco para liberar as reuniões, encontros religiosos. “Recentemente conversei com os pastores Agostinho Gonçalves e Eldo Gama e eles garantiram que se estão defendendo a necessidade de abrir os templos é porque já possuem a estrutura necessária para receber os fiéis. A igreja é uma instituição movida pela fé e, por isso, as pessoas sentem necessidade de congregar”, finalizou.

 

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.