Zequinha Lima e Henrique Afonso são diplomados em sessão remota em Cruzeiro do Sul

Por Wanglézio Braga/ Foto: Cedida

O prefeito eleito e o vice-prefeito eleito de Cruzeiro do Sul, no Vale do Juruá, Zequinha Lima (PP) e Henrique Afonso (PSD) foram diplomados durante sessão remota realizada pela junta eleitoral, na manhã dessa quarta-feira (16). A junta eleitoral também diplomou os vereadores eleitos e reeleitos do pleito ocorrido no dia 15 de novembro.

Zequinha Lima, de 52 anos, nasceu em Mâncio Lima, é professor de carreira, e foi eleito em Cruzeiro do Sul com 18.766 votos, o que corresponde 44,15% dos votos válidos. Ele era o candidato do Governador Gladson Cameli (PP) e recebeu apoio do executivo ao concorrer ao cargo. A coligação foi formada pelo PDT, PSB, Solidariedade, PP, PSD, PROS, PCdoB, PT e DC.  

Junto com os dois, também foram diplomados os vereadores eleitos e reeleitos da cidade. Para o cargo de vereador, recebem os diplomas: Cristiano Rodrigues (MDB), Franciney (PP), Keleu (PP), Zaldo Moto Táxi (PROS), Antônio Cosmo (MDB), Marcio da Farinha (PSDB), Elter Nobrega (PROS), Altemar Santa Rosa (MDB), Noeca (DEM), Mazinho da BR (MDB), Clerton Souza (PSD), Leandro Cândido (PP), Gilmar da Saúde (PDT) e Betão da BR (PSD).

Sobre a forma como a diplomação ocorreu, de modo virtual, Zequinha acredita que todos precisam se reinventar em meio a pandemia. Ele aproveita para agradecer a forma com as eleições foram conduzidas.

“Esse é um momento inédito, porém, mesmo distantes uns dos outros nesses tempos difíceis de pandemia, estaremos juntos no mesmo propósito de buscar o melhor para nossa região. Meu coração está cheio de esperança e quero dividir com você a alegria de participar desse momento. Agradeço a Deus e a todos que confiaram em nós, na zona urbana e rural, à Justiça Eleitoral e ao Ministério Público pelo belo trabalho realizado nas eleições. De nossa parte, reafirmamos o compromisso de trabalhar pra todos sem distinção”, comentou.

Vale lembrar que a Diplomação é o ato pelo qual a Justiça Eleitoral atesta que o candidato foi efetivamente eleito pelo povo e, por isso, está apto a tomar posse no cargo. Nessa ocasião, ocorre a entrega dos diplomas, que são assinados, conforme o caso, pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) ou da junta eleitoral.

Segundo o Código Eleitoral (art. 215, parágrafo único), no diploma devem constar o nome do candidato, a indicação da legenda sob a qual concorreu, o cargo para o qual foi eleito ou a sua classificação como suplente, e, facultativamente, outros dados a critério do juiz ou do tribunal.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.