Vereador compara o Pronto Socorro de Rio Branco com o Vietña: “Um caos”

Por Wanglézio Braga

O vereador Raílson Correia, do PODEMOS, usou a tribuna hoje (14) para criticar o Governo do Estado por meio da Secretaria de Saúde (SESACRE) que vem fechando os olhos para a qualidade do atendimento ou a falta dele no Pronto Socorro de Rio Branco. Durante seu discurso, o parlamentar-mirim comprou a principal unidade de atendimento emergencial da capital acreana a um hospital do Vietnã.

As críticas ocorreram devido à necessidade de atendimento ao pai do vereador diagnosticado com trombose. Segundo Raílson, eles buscaram ajuda na unidade e neste momento foi possível enxergar o quadro em que se encontra o recém-restaurado Pronto Socorro desde a estrutura física até a falta de materiais e de profissionais.

“Os funcionários de lá são uns guerreiros. Como eles conseguem? Por isso que existe muito erro médico. Cheguei lá e o médico não sabia nem o que meu pai tinha! Daí falei que era trombose. As pessoas estão morrendo à míngua. Estou vendo a saúde sendo precarizada. Falta tudo no PS. Até copo descartável tá faltando para tomar um gole d’água”, disse ele deixando registrado que transferiu seu pai para outro hospital e que a família está bancando os custeios médicos particular.

Finalizando, o vereador alfinetou o governador Gladson Cameli, do PP, por trocar os gestores da saúde, ter anunciado que havia recursos em caixa e que não toma uma iniciativa mais enérgica para conter o caos nas unidades do estado.

“Isso é crime! Tem gente morrendo todo dia. O governador viajando de jatinho todo dia. Queria ver os vereadores acampando dentro do Pronto Socorro. Se não dar conta da Saúde que entregue para a prefeitura ou pra quem quer gerir. O que não dá é pra brincar de troca-troca de secretário! Aquilo ali é saúde. Não dá para compreender que tem R$ 14 milhões na Saúde enquanto no PS não tem um copo para beber água!”, finalizou sugerindo aos colegas de oposição que façam uma visita às unidades. 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.