Assim como Gladson, Bocalom também tratou de vacinação com Ministro da Saúde

Por Wanglézio Braga

O prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PP), também foi um dos executivos do Acre que teve audiência com o ministro da Saúde do governo Bolsonaro, Eduardo Pazuello. Na audiência virtual realizada hoje (14) e que durou alguns minutos, Bocalom comentou sobre as expectativas da chegada da vacinação contra o novo coronavírus e da logística a ser posta em prática em parceria com o estado para a campanha de vacinação.

“Me reuni, nesta manhã, por videoconferência, com o ministro da Saúde do Brasil, Eduardo Pazuello. O secretário de saúde Frank Lima estava comigo. Falamos sobre a campanha nacional de vacinação contra o coronavírus, que deve iniciar até o fim do mês em todo o país, e o papel das prefeituras que ficam responsáveis pelo Plano de Execução da Vacinação”, escreveu Bocalom.

A reunião por videoconferência não foi algo exclusivo com o prefeito Bocalom. Pazuello participa de reunião com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP). Mais de 130 chefes de municípios acompanham virtualmente a discussão. Segundo o Ministério da Saúde, o ministro fez uma reunião com todos os prefeitos das capitais e acertou os últimos detalhes para o “Dia D” na “hora H”.

Pazuello, afirmou a prefeitos que a vacinação contra a covid-19 em todo o País começará no próximo dia 20, às 10h, se a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) der o aval para o uso emergencial de imunizantes no País. A data já era apontada pelo governo federal como o cenário “mais otimista” para abrir a campanha de imunização.

O ministro repetiu aos presentes que oito milhões de doses de vacinas devem estar disponíveis em janeiro, sendo dois milhões do modelo de Oxford/AstraZeneca e seis milhões da Coronavac. Estes imunizantes serão entregues no Brasil pela Fiocruz e pelo Instituto Butantã, respectivamente.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.