Deputado quer CPI sobre os atos antidemocráticos no 7 de setembro

O deputado José Guimarães (PT-CE) encaminhou um requerimento à Câmara dos Deputados solicitando a instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os atos promovidos pelo governo Bolsonaro no dia 7 de setembro. O documento foi apresentado nesta segunda-feira (13). Vice-líder da minoria na Casa, Guimarães pede que também seja apurado quais foram as fontes de financiamento das manifestações e se houve o alocamento de recursos públicos para promover os atos. Guimarães considera que os eventos foram pautados por ameac?as antidemocra?ticas a ministros do Supremo Tribunal Federal e ao Congresso. Segundo ele, aconteceram em meio a um contexto de acentuada crise econo?mica e de queda na popularidade e nas avaliac?o?es sobre a administrac?a?o de Bolsonaro.

Para ser aceito pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), o documento precisa recolher a assinatura de 171 deputados. “Vejo como algo extremamente necessário e relevante a criação desta CPI, para que possamos investigar a fundo os atos golpistas em comemoração do Dia da Independência, com vistas a se apurar eventuais irregularidades e/ou ilegalidades. Precisamos prestar contas à população brasileira e esperar que mudanças benéficas possam surtir com os trabalhos dessa Comissão”, afirmou o deputado Guimarães.

7 de setembro

No feriado da Independência, o presidente Jair Bolsonaro discursou na Avenida Paulista e afirmou não cumprir mais as decisões do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). 

Bolsonaro também atacou o sistema eleitoral, outros integrantes do STF e governadores e prefeitos que tomaram medidas de combate ao coronavírus.

"Dizer a vocês, que qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente não mais cumprirá. A paciência do nosso povo já se esgotou, ele tem tempo ainda de pedir o seu boné e ir cuidar da sua vida. Ele, para nós, não existe mais." Em nota, dois dias após os atos, o presidente recuou e disse que considera o conflito com o ministro como mero conflito de entendimento. Segundo ele, o discurso foi feiro "no calor do momento” e que sempre esteve disposto a “manter diálogo permanente com os demais Poderes pela manutenção da harmonia e independência entre eles”.

[Congresso em foco]

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.