PL de Bolsonaro elege ao menos 99 deputados, maior bancada em 24 anos

O PL de Jair Bolsonaro ganhou ao menos 23 deputados na eleição deste domingo (2), chegando a 99, e se tornou a maior bancada eleita na Câmara nos últimos 24 anos, desde que o antigo PFL —que daria origem ao Democratas, hoje parte da União Brasil— fez 106 parlamentares na reeleição do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), em 1998.

O PT de Luiz Inácio Lula da Silva, primeiro colocado no primeiro turno presidencial, também elevou sua bancada, dos atuais 56 para 76.

Com 99,9% das urnas apuradas nacionalmente até o começo da madrugada desta segunda (3), já era possível conhecer o nome da grande maioria dos 513 nomes que vão compor a Câmara na legislatura que se inicia em 1º de fevereiro de 2023.

O PL desponta como a grande força. Com 99 assentos, a sigla terá praticamente um em cada cinco votos na Casa, consolidando-se como um ator essencial nas negociações políticas entre os deputados.

A federação formada por PT, PV e PC do B vem a seguir, com 80 deputados ao todo, 12 a mais do que a bancada atual. Outra federação que faz oposição a Bolsonaro, composta por PSOL e Rede Sustentabilidade, também viu sua força aumentar, ao eleger quatro deputados a mais do que tem hoje e chegar a 14. O movimento foi puxado depois do forte resultado de Guilherme Boulos em São Paulo; o líder dos sem-teto angariou o apoio de mais de 1 milhão de eleitores, sendo o segundo mais votado no país.

Apesar desse crescimento, a correlação de forças dos principais grupos partidários da Casa, centrão e a atual oposição a Bolsonaro, deve ficar praticamente a mesma. Isso se deve à queda nas cadeiras reservadas a partidos que integram essas coalizões, em especial o PSB (aliado a Lula, opositor de Bolsonaro) e o PP (centrão).

O aumento desse setor da esquerda, porém, foi compensado pela redução verificada em partidos como PSB, que perdeu dez parlamentares, e PDT, do presidenciável Ciro Gomes, que terá dois a menos.

O PL de Bolsonaro é, atualmente, a maior legenda da Câmara, com 76 das 513 cadeiras. Esse patamar, porém, só foi alcançado na janela do troca-troca partidário, em que grande parte do bolsonarismo seguiu o presidente da República e migrou para a sigla.

Em 2018, o PL havia eleito 33 deputados federais, ou seja, menos da metade da atual bancada. O melhor desempenho da legenda foi em 2010, quando conseguiu 41 cadeiras na eleição. O partido fez ainda o campeão das urnas neste ano —posto que coube ao vereador de Belo Horizonte Nikolas Ferreira, dono de 1,4 milhão de votos. Em São Paulo, depois de Boulos, os três mais votados também foram do PL: Carla Zambelli, Eduardo Bolsonaro e Ricardo Salles.

Apesar da onda de direita que varreu a disputa de quatro anos atrás, o PT saiu das urnas na ocasião com a maior bancada, 54. O número, porém, mostrava declínio em relação a legislaturas anteriores e ficou bem distante do auge do partido, as 91 cadeiras na eleição que levou Lula pela primeira vez à Presidência, em 2002.

A composição partidária na Câmara é de suma importância para qualquer governante. Além de ser a Casa que dá a largada em possíveis processos de impeachment, é por lá também que começa a tramitação da maioria dos projetos de interesse do Palácio do Planalto.

O PL de Bolsonaro é, atualmente, a maior legenda da Câmara, com 76 das 513 cadeiras. Esse patamar, porém, só foi alcançado na janela do troca-troca partidário, em que grande parte do bolsonarismo seguiu o presidente da República e migrou para a sigla.

Em 2018, o PL havia eleito 33 deputados federais, ou seja, menos da metade da atual bancada. O melhor desempenho da legenda foi em 2010, quando conseguiu 41 cadeiras na eleição. O partido fez ainda o campeão das urnas neste ano —posto que coube ao vereador de Belo Horizonte Nikolas Ferreira, dono de 1,4 milhão de votos. Em São Paulo, depois de Boulos, os três mais votados também foram do PL: Carla Zambelli, Eduardo Bolsonaro e Ricardo Salles.

Apesar da onda de direita que varreu a disputa de quatro anos atrás, o PT saiu das urnas na ocasião com a maior bancada, 54. O número, porém, mostrava declínio em relação a legislaturas anteriores e ficou bem distante do auge do partido, as 91 cadeiras na eleição que levou Lula pela primeira vez à Presidência, em 2002.

A composição partidária na Câmara é de suma importância para qualquer governante. Além de ser a Casa que dá a largada em possíveis processos de impeachment, é por lá também que começa a tramitação da maioria dos projetos de interesse do Palácio do Planalto.

 

[Folha Uol]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.