Voos, exportação de carne e imigração são temas de reunião entre Rocha e Embaixada do Peru

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

Três temas pautaram uma reunião importante realizada ontem (02) entre o Governo do Acre, através do Gabinete do vice-governador, Wherles Rocha (PSL) e o Embaixador do Peru no Brasil, Javier Yépez. No encontro, os problemas imigratórios que se arrasta por vários dias em Assis Brasil/Iñpari, a exportação de carne bovina e suína por meio da Estrada Interoceânica bem como da conexão de voos entre os dois países, Brasil e Peru.

Sobre esse último o assunto, de oferta de voos entre Acre e Peru, o vice-governador acredita que logo, com a ajuda do Governo Federal, será possível a ligação via aérea trazendo mais integração nas regiões Amazônica e Andes. A proposta mais concreta são voos entre Cruzeiro do Sul, no Vale do Juruá, e Pucallpa, no Departamento de Ucayali. “Se Deus quiser, muito em breve com ajuda dos governos e apoio do nosso estado, será uma realidade”, informou.

Também foi discutido sobre a exportação de carne bovina e suína utilizando a estrada interoceânica e da situação dos imigrantes haitianos que se encontram em Assis Brasil, à espera da permissão para trânsito no país vizinho.

“Hoje, o Acre exporta cerca de 4,6 milhões de dólares para o Peru, podemos ampliar ainda mais esses valores se inserirmos a carne bovina e suína acreana, o que elevaria em cerca de 50% os valores na exportação dos produtos. Fomos muito bem recebidos pelo embaixador do Peru, Javier Yépez, e estamos confiantes em melhorias para nosso estado”, acrescentou o vice-governador.

Yépez enalteceu futuras parcerias e disse esse movimento pode se tornar realidade. “Temos interesses pelo desenvolvimento da nossa população. Para isso estamos fazendo acertos permanentes para impulsionar o comércio dos dois países, ter essa parceria para concretizar ações especialmente na região de fronteira”, enfatizou.

Rocha fez ainda um convite ao embaixador para comer um churrasco, conhecer a capital e também conversar com os empresários sobre possíveis parcerias visando, é claro, o fortalecimento da economia na região de fronteira. 

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.