Petecão, ministro da Defesa e comandantes das Forças Armadas debatem orçamento

O senador Sérgio Petecão (PSD) se reuniu com o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e os comandantes das três forças armadas: Exército, Marinha e Aeronáutica, para tratar do relatório setorial do Orçamento da Defesa para 2021. O relatório será elaborado pelo parlamentar acreano e prevê investimento da ordem de R$ 110,8 bilhões entre despesas obrigatórias e discricionárias. Durante a reunião, foi apresentado ao senador um amplo panorama que abrange toda a estrutura e projetos da Defesa de 2014 até hoje. Sérgio Petecão evidenciou que o setor sofreu significante corte no orçamento neste período, fazendo com que as Forças deixassem de investir em iniciativas e tecnologias que asseguram a defesa nacional.  Segundo o senador, no que depender dele, não haverá corte no orçamento da Defesa neste ano, uma vez que Exército, Marinha e Aeronáutica desempenham um papel importante em todo o país, sobretudo, na região Amazônica. “Tenho evidenciado que as Forças Armadas, com destaque ao Exército Brasileiro, sempre estiveram intensamente presentes na região Amazônica”, disse o senador, destacando os Pelotões de fronteira nos municípios isolados e próximos à fronteira. “Em situações de calamidade, desastres naturais e garantia da Lei e da Ordem, a presença das Forças Armadas é fundamental”, disse Petecão. Na oportunidade, o senador solicitou que o ministro, juntamente com os comandantes das respectivas Forças, inicie estudos de viabilidade para que seja instalado no município de Jordão uma unidade de Pelotão de fronteira. “Sempre que vou a Jordão, recebo este pedido. Atualmente, contamos com o apoio dos Pelotões em Santa Rosa do Purus, Marechal Thaumaturgo, Assis Brasil e Epitaciolândia. Certamente, incrementamos muito a segurança de nossa fronteira e o desenvolvimento da região quando incluirmos Jordão nesta lista” comentou Petecão. O orçamento da Defesa inclui projetos que vão desde a proteção da fronteira brasileira, incluindo o Acre, a Amazônia Azul, que representa 3,5 milhões de quilômetros quadrados (km2) de espaço marítimo. [Assessoria]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.