Dairista é preso injustamente acusado de homicídio em Mâncio Lima/AC

O diarista Pedro da Silva Araújo, de 49 anos, foi preso no município de Mâncio Lima (AC) no dia 19 de abril e passou nove dias no presídio, injustamente, acusado de espancar e matar um idoso. No decorrer das investigações a Polícia Civil encontrou o verdadeiro autor do crime e só então chegou a conclusão de que o diarista era inocente. O homem agora está traumatizado e tenta se recuperar dos dias que passou na prisão.

Segundo a própria família, ninguém no município de Mâncio Lima acreditava que o diarista fosse o autor. O idoso Ednilson de Oliveira, de 59 anos, foi encontrado morto na casa onde morava com sinais de espancamento. A casa estava revirada e havia a suspeito de que o autor do crime tinha matado para roubar. Pedro era amigo do idoso e tinha estado com ele um dia antes do crime.

Testemunhas chegaram a afirmar que haviam presenciado o diarista discutindo com o idoso, mas para a polícia ele negou. A contradição fez com que a polícia acreditasse que o diarista era o autor do crime.

“Chegaram e me disseram que eu estava preso. Eu falei para o delgado que era inocente, mas ele falou que tinham testemunhas contra mim. Eu disse para ele que tenho meu coração para Deus e não temia a ninguém. Eu disse que não tinha discutido com ele”, falou.

Pedro da Silva foi preso em flagrante e encaminhado ao Presídio de Cruzeiro do Sul, ele afirma que até os outros presidiários acreditaram em sua inocência.

 “Chorei muito pensando na minha mãe na minha esposa e em toda minha família, pois não tinha acontecido isso. Eu estava a todo momento me tremendo e eles me ajudavam, diziam para que eu não me preocupasse”, disse.

Até que no decorrer das investigações a polícia chegou a Wanderson do Nascimento Lima, de 19 anos, verdadeiro autor do crime que decidiu confessar.

Arnoldo da Silva é irmão do diarista que foi preso sendo inocente, ele disse que ajudou em busca de informações porque não acreditava que o irmão fosse culpado do crime.

“Ele chegou em casa e não conseguiu dormir, e é chorando a todo tempo, está traumatizado. Ele foi preso porque mentiu. Ele tinha tomado umas e talvez nem mesmo lembre que discutiu com a vitima”, destacou.

O delegado Roberto Lucena responsável pela investigação diz que o diarista omitiu uma discussão que teve com a vítima e isso dava entender que ele teria sido o autor.

“Tínhamos umas três testemunhas que presenciaram a briga dos dois, até calorosa, e trouxemos ele aqui para ser ouvido como testemunha também, mas ele negava essa briga. Troxemos outras testemunhas, conversamos com o perito e nos passou que o acusado possivelmente era canhoto, e por infelicidade o Pedro era canhoto e o prendemos como suspeito, mas continuamos as investigações e chegamos ao verdadeiro culpado e livramos o Pedro”, explicou o delegado.

Wanderson do Nascimento, o verdadeiro culpado pode ser indiciado por latrocínio roubo seguido de morte, enquanto isso, o diarista Pedro só pensa em esquecer os dias que passou na prisão como um criminoso. [juruaonline]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.