Chácara em Mâncio Lima era usada para promover brigas de galos

Assessoria

Na região do Juruá, uma ação conjunta das polícias Civil e Federal resultou na detenção de dezenas de pessoas, que estariam praticando crime de crueldade contra animais. O flagrante foi aplicado na tarde do último sábado, 08, em Mâncio Lima.Na ocasião, foram apreendidos mais de 70 galos de briga, além de ‘biqueiras’ e esporas de metal, usadas pelos donos de galos de briga, para ampliar o poder de lesão dos animais que eram postos na rinha para lutar até a morte.

Previsto no artigo 32 da Lei nº 9605/98, a pena por tal crueldadevai de três meses a um ano de detenção, além do pagamento de multa pela pratica de maus-tratos contra quaisquer animais quer sejam silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos.

O dono da chácara, localizada a 15 quilômetros da Vila Santa Rosa, identificado por “Rato”, conseguiu escapar do cerco das polícias se embrenhando pela mata. Conforme o delegado de Polícia Civil, Roberto Lusena, na hora da chegada dos policiais ao local da rinha, estima-se que cerca de cinquenta pessoas estavam no local, muitos conseguiram fugir. Entre os envolvidos, donos de galos e apostadores, há pessoas de classe média alta e servidores públicos, incluindo mulheres e crianças.

“Sempre houve consenso das autoridades que as chamadas ‘rinhas de galo’, além de constituir o delito citado, também configuram contravenção penal de jogo de azar, prevista no artigo 50 do Decreto-lei nº 3688/41, com pena de prisão simples de três meses a um ano, além da multa e perda dos móveis e objetos decorativos do local”, explicou o delegado.

 No local da rinha, além do octógono, havia uma grande estrutura em uma espécie de galpão com iluminação, ventilação e até cadeiras com os nomes dos participantes mais cativos da prática criminosa, que segundo a investigação, alimentavam o negócio com apostas que variavam entre R$300 a R$400. A investigação apurou ainda que os organizadores estavam planejando colocar um carro zero quilômetro como prêmio para as próximas apostas.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.