Para resguardar saúde da população carcerária, equipe do presídio de Tarauacá recebe materiais em Feijó

Diante da problemática do novo coronavírus e dos riscos de disseminação, principalmente em ambiente carcerário, a equipe do Núcleo de Apoio à Família (NAF) da Unidade Penitenciária Moacir Prado, em Tarauacá, encontrou uma alternativa para atender os familiares residentes em Feijó.

Uma vez por mês, os servidores têm se deslocado até o município vizinho e ali permanecem pelo período de quatro dias, para receber os materiais a serem entregues aos detentos.

De acordo com o diretor da unidade, Claudecir Sousa, além dos cuidados com a higiene e utilização de equipamentos de proteção individual, a equipe cumpre outros requisitos de segurança sanitária no procedimento. “Eles se deslocam, fazem o atendimento por uma semana em Feijó e entram em quarentena de 15 dias. Ao encerrar a quarentena, fazem o atendimento em Tarauacá, também por uma semana, e novamente entram em quarentena”, explicou.

Somente em Feijó, uma média de 240 familiares são atendidos pelo NAF. A quantidade de materiais permitida foi alterada para suprir os detentos no período de um mês.

Dessa forma, durante o mês os profissionais fazem um atendimento em cada município. A principal motivação foi a necessidade de atender familiares e presos, com objetivo de não os privá-los do recebimento dos materiais básicos, de higiene e de alimentação extra, que é autorizada.

“Desde quando começou a pandemia, buscamos essa alternativa para atender os familiares de Feijó, evitando que se aglomerassem dentro de carros ao se dirigirem a Tarauacá, o que também os auxilia a conter gastos, disse o diretor.

Na oportunidade, os familiares podem enviar cartas que passam por uma triagem das equipes de segurança e de reintegração social. Na entrega de materiais seguinte, os mesmos familiares recebem cartas com as respostas dos detentos.

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.