Homens que executaram jovem em Senador Guiomard têm penas que somam mais de 107 anos

TJAC

Na sentença emitida pela 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar de Rio Branco foi considerada grave a culpabilidade dos envolvidos no crime

No último dia 13, a 2ª Vara do Tribunal do Júri e Auditoria Militar da Comarca de Rio Branco condenou quatro homens a penas que somam mais de 107 de reclusão. Eles cometeram o crime de homicídio qualificado (motivo torpe e recurso que impossibilitou a defesa da vítima) de um jovem de 22 anos em Senador Guiomard.

O crime aconteceu em 2017 e a vítima foi executada pelos réus após ordem de facção criminosa. O jovem morto foi assassinado com cinco tiros e golpes de terçado. Segundo a denúncia, um dos réus pediu a morte da vítima para o comando da facção, por acreditar que o jovem estava tendo um relacionamento amoroso com a ex-esposa.

De acordo com o relato do Ministério Público do Acre (MPAC), a vítima estava bebendo junto com a mulher e outro homem, quando um dos réus acompanhado de um terceiro chegou a residência atirou contra o jovem cinco vezes e depois tomou o terçado da vítima e a golpeou.

Por isso, o juiz de Direito Alesson Braz, titular da unidade judiciária, condenou os réus, dois deles foram os líderes de facção que autorizaram e planejaram o crime, o terceiro também membro de organização criminosa foi quem encomendou o ato e o quarto foi quem executou o jovem.

O magistrado apontou como grave a culpabilidade de todos os denunciados, em função da forma como o crime foi cometido. “A culpabilidade foi exacerbada para o crime de homicídio, tendo em vista o excesso do dolo, consubstanciado na quantidade de disparos e golpes de arma branca proferidos contra a vítima”, registrou o juiz.

Dessa forma, um dos líderes de facção deve cumprir 33 anos, oito meses e 26 dias de reclusão e pagar 10 dias multa. O segundo, que também é liderança da organização criminosa, foi sentenciado à 28 anos, 11 meses e um dia de reclusão, bem como, ao pagamento de 10 dias multa.

Já o réu que pediu a morte da vítima foi condenado a 27 anos, três meses e 18 dias de reclusão, além do pagamento de 10 dias multa e o denunciado que executou o crime teve decretada a pena de 19 anos, quatro meses e 15 dias de reclusão. Todos os quatro iniciam o cumprimento das sentenças em regime fechado e tiveram negado o direito de apelar em liberdade.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.