Operação Ghidorah prende líderes de facções criminosas no Acre

Líderes de três facções criminosas foram presos nesta terça-feira, 23, durante a Operação Ghidorah, realizada pelo Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e a Polícia Militar em cinco cidades acreanas. 

No início do dia, mais de 60 policiais militares deram cumprimento a dez mandados de prisão e dez de busca e apreensão, em Rio Branco, Senador Guiomard, Feijó, Tarauacá e Rodrigues Alves. Apenas dois alvos não foram localizados. 

Segundo o coordenador-adjunto do Gaeco, promotor de Justiça Bernardo Albano, a Operação Ghidorah é resultado de cinco meses de investigação, iniciada após a apreensão de documentos em Guarulhos (SP), que revelavam o envio de ajuda financeira por uma das organizações criminosas para líderes locais do PCC, Ifara e Bonde dos 13. 

“Foi após uma prisão ocorrida em Guarulhos pelo  Gaeco de São Paulo, que compartilhou, mediante autorização judicial, esses documentos com o Ministério Público do Acre. Paralelamente a isso, nós tínhamos informações de outras operações em andamento com elementos de prova, e chegamos a descortinar os núcleos das três organizações criminosas aliadas”, explica. 

O comandante da Polícia Militar, coronel Ulysses Araújo avaliou que os resultados alcançados na operação foram satisfatórios no combate ao crime organizado. 

“Essas prisões tinham como objetivo principal combater o financiamento do crime organizado. Tivemos prisões, flagrante de tráfico de drogas e apreensão de vários objetos que serão analisados pelo Gaeco. A Polícia Militar tem dado todo apoio ao Ministério Público para que possamos combater com eficiência a criminalidade e trazer resultados para a sociedade”, disse. 

O nome da Operação faz referência a uma figura da mitologia japonesa, representada por um dragão de três cabeças, e foi escolhido porque tinha como objetivo atingir o núcleo de três facções aliadas.


 

Agência de Notícias do MPAC


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.