Iapen coleta de DNA de 300 presos para criar banco genético e ajudar na resolução de crimes no AC

Peritos do Instituto de Análises Forenses começaram, nesta quinta-feira (16) a coleta de material genético de presos condenados no Acre e que cumprem pena no presídio Francisco D'oliveira Conde (FOC), em Rio Branco. Ao menos 300 pessoas devem fazer a coleta, nesta primeira fase.

Os dados vão ser incluídos na rede nacional de banco de perfis genéticos, que tem como objetivo responsabilizar culpados e identificar autores de crimes por meio de DNA.

Condenados por crimes como estupro, feminicídio, homicídio qualificado e latrocínio, estão na lista dos apenados que devem fazer a coleta no estado.

De acordo com o Instituto de Administração Penitenciária do Acre (Iapen-AC), na primeira fase, ao menos 300 presos vão passar pela coleta, isso inclui também algumas pessoas do presídio de Senador Guiomard, no interior.

"Está sendo feito o levantamento dos nomes dos apenados que estão aptos para essa coleta. A princípio são os presos sentenciados por crimes hediondos, considerados contra a vida e crimes sexuais", explica o gerente de controle e execução penal do Iapen, Thiago Tadeu.

A coleta segue uma normativa do Ministério da Segurança e todos estados devem passar por essa atualização. Ao todo, no Acre devem ser incluídos cerca de 600 presos.

"Não são todos os presos. De acordo com o levantamento, cerca de 600 pessoas vão fazer. Estes 300 seriam feitos em uma primeira etapa e o restante em segunda fase", explica Tadeu.

Ainda de acordo com o gerente, a escolha das duas primeiras unidades prisionais é por causa do perfil dos presos. Mas a coleta vai se estender por todo estado.

"O objetivo é ajudar investigações futuras. Por isso, foi investido nesse processo de coleta. É algo extraordinário. Temos uma demanda para dar cumprimento e precisamos abastecer esse banco de dados nacional que existe e já está funcionando", conclui Tadeu.

Posses

Na terça-feira (14), o governador do Acre em exercício, major Rocha, empossou 14 peritos criminais e dois médicos legistas. A solenidade foi feita no auditório da Polícia Civil e o chamamento dos 16 profissionais faz parte das promessas da atual administração estadual em convocar os 500 aprovados nos concursos das Polícias Civil e Militar ainda este ano.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.