Grupo é condenado a penas que somam mais de 80 anos de reclusão por roubo

Crime aconteceu em 2019, na zona rural de Brasiléia, e os quatro denunciados foram condenados a penas privativas de liberdade e a pagarem R$ 100 mil de indenização para vítimas

Quatro denunciados de cometerem crimes de roubo majorado e corrupção de menor foram condenados pelo Juízo da Vara Criminal da Comarca de Brasiléia. Em consequência do ato, dois devem cumprir 20 anos de reclusão e os outros dois,20 anos e 10 dias de prisão.

Todos iniciarão o cumprimento da pena em regime fechado e também precisarão pagar 10 dias-multa, além disso, ainda foram sentenciados a pagarem solidariamente R$ 100 mil de indenização em favor das duas vítimas.

Crimes cometidos

Conforme os autos, em março de 2019, em uma colônia, na zona rural do município, os denunciados junto com o um adolescente, mediante grave ameaça, com emprego de arma de fogo e restringindo a liberdade de duas vítimas subtraíram diversos bens, entre os itens uma camionete. Por isso, foram denunciados por roubo majorado e corrupção de menor.

Após analisar o caso o juiz de Direito Clovis Lodi, titular da unidade judiciária considerou os quatro responsáveis pelos crimes e os condenou pela prática dos crimes descritos nos artigos 157, §§ 2º, II, IV e V e 2º-A, do Código Penal, e art.244-B do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), respectivamente: roubo majorado pelo concurso de pessoas, pelo transporte do veículo subtraído para o exterior, pela restrição de liberdade das vítimas e o emprego de arma de fogo, por duas vezes; e o crime de corrupção de menor.

Sentença

Na sentença, publicada na edição n°6.512 do Diário da Justiça Eletrônico, da quinta-feira, 9, o magistrado registrou que “a materialidade e autoria delitiva são incontroversas, porquanto os elementos de informação foram ratificados em Juízo e demonstram que os réus foram até a residência das vítimas, localizado na zona rural desta Comarca, e subtraíram seus pertences, inclusive a camionete, levada para território boliviano, onde foi negociada”.

Então, na dosimetria da pena, o magistrado considerou desfavoráveis as consequências do delito, pois, como escreveu o juiz, “(…) as vítimas sofreram forte abalo psicológico, inclusive tiveram que mudar de residência, como também fazerem tratamento médico (…)”.

 

TJAC


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.