Grupo Especial de Fronteira completa um ano de atuação e enfrentamento às organizações criminosas

Ações já foram desenvolvidas em 12 municípios, alcançando a faixa de fronteira e a zona rural

Desde setembro de 2019, Grupo Especial de Fronteira (Gefron) atua com a finalidade de combate ao crime e policiamento na área de fronteira de forma diferenciada. O objetivo é o enfrentamento das organizações criminosas que lidam com o tráfico de drogas e armas.

De acordo com levantamento do grupo, durante o período de um ano, os profissionais que contam com a capacidade de enfrentamento com armas pesadas e treinamento de guerrilha já deram prejuízo de mais de R$ 10 milhões ao crime organizado.

Somente no mês de setembro de 2020, as apreensões feitas pela equipe do Gefron alcançaram um total de R$ 3.421.202,50. O valor é o maior registrado pelo grupo dentro do período de um mês e diz respeito ao somatório de dez ocorrências.

Durante todo o tempo de atuação do grupo, os profissionais já atenderam 137 ocorrências que somam R$ 10.051.030,02 de prejuízo ao crime organizado em todo o Acre. No que se refere aos registros por município, Senador Guiomard ficou em primeiro lugar com 42 ocorrências registradas no período de outubro de 2019 a setembro de 2020, o equivalente a R$1.819.303,00.

O governador Gladson Cameli explicou que os investimentos nas forças de segurança fizeram a diferença para reduzir diversos índices de criminalidade, e o Gefron se fez presente para a melhoria nesses números.

“A segurança pública é um dos desafios mais importantes a serem enfrentados pela administração pública, pois, além de ser uma questão delicada e de alta prioridade para o cidadão, demanda recursos substanciais por parte do governo do Estado”, afirmou.

Ele também destacou que não tem medido esforços para oferecer todo o amparo logístico aos combatentes da segurança por meio do Gefron para que possam cumprir com êxito as missões que são confiadas a eles.

Outros 11 municípios acreanos figuram entre os que apresentaram registros de ocorrências atendidas pelos profissionais. De acordo com o coordenador de operações integradas da Sejusp, Belisário de Sousa Filho, o Gefron foi idealizado, primeiramente, para atender o Sistema Integrado de Segurança Pública (Sisp) e chegar aos lugares onde este tem dificuldade de alcançar, sempre focado na faixa de fronteira.

Ele explicou que o objetivo principal do grupo é o combate ao crime organizado, ao narcotráfico e descaminho, mas que também auxilia no desenvolvimento de operações integradas. “Quando o Sisp faz as operações integradas, o Gefron presta o devido apoio. O suporte é realizado seja no Juruá, no Alto Acre ou no Baixo Acre”, afirmou o coordenador.

Sobre o grande número de apreensões, Sousa Filho explicou que elas geram um prejuízo para os criminosos, seja na apreensão de veículos roubados ou de produtos contrabandeados. “Como nós também patrulhamos muito a zona rural, encontramos veículos roubados e realizamos as apreensões”, finalizou.

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.