Investigado pelo STF, blogueiro bolsonarista tinha estagiária de Lewandowski como informante

O blogueiro bolsonarista Allan dos Santos, dono do canal Terça Livre, tinha como informante uma estagiária do gabinete do ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), apontam mensagens coletadas por meio de quebra de sigilo telefônico pela Polícia Federal (PF). Segundo reportagem da Folha de S. Paulo publicada nesta quarta-feira (6)Allan trocou mensagens com Tatiana Garcia Bressan, de 45 anos. Ela estagiou no gabinete no período de 19 de julho de 2017 a 20 de janeiro de 2019. A troca de mensagens começou em 23 de outubro de 2018, e vão até 31 de março de 2020.

O blogueiro é investigado em dois inquéritos no Supremo. Um que apura a máquina de disseminação de fake news em redes sociais e outro que tenta identificar quem financia esses e outros atos antidemocráticos

As conversas foram iniciadas por Tatiana, que procura Allan para saber de uma vaga na equipe da deputada Bia Kicis (PSL-DF). A estagiária relatou dificuldades de trabalhar com o Lewandowski, mas diz que está "lá para aprender". O relatório da PF mostra que a informação "naturalmente desperta o interessa de Allan", que pede a colaboração de Tatiana. "Fique como nossa informante lá", responde o blogueiro. A estagiária aceita a proposta e se prontifica: "Será uma honra. Estou lá kkk".

A conversa segue e Allan pergunta o que Tatiana viu de mais espantoso no gabinete. Ela responde: "O que vi de mais espantoso é que realmente eles decidem o que querem e como querem. Algumas decisões são modificadas porque alguém importante liga pro ministro". Procurada, Tatiana Garcia informou que nunca atuou como informante de Allan dos Santos. Esclareceu que sua ligação com o blogueiro é de uma turma em que foram alunos do escritor Olavo de Carvalho. Ela afirma ainda que seu contato foi somente para falar sobre a vaga de emprego no gabinete de Bia Kicis, à qual não foi selecionada. Allan dos Santos não retornou aos contatos da Folha.

[Congresso em foco]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.