Área de Proteção do Lago do Amapá celebra 12 anos de preservação ambiental

Rica em biodiversidade, a Área de Proteção Ambiental (APA) do Lago do Amapá, localizada em Rio Branco, celebra nesta terça-feira, 26, doze anos de criação e conservação ecológica.

Gerida pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), a unidade de conservação de uso sustentável permite a coexistência de áreas de interesse para preservação e atividades socioeconômicas urbanas e rurais. Ao todo, 190 famílias vivem no local em comunhão com o meio.
A APA do Lago do Amapá destaca-se por adequar as atividades econômicas e a conservação do espaço, garantindo ao mesmo tempo desenvolvimento sustentável e qualidade de vida aos comunitários.

Com 5.208 hectares de extensão, a unidade de conservação caiu na graça dos rio-branquenses que recorrem ao local para realizar atividades de integração com o meio, como trilhas e piqueniques.

Mirna Caniso, gestora da APA, observa que a área se diferencia por possuir uma gestão de caráter dinâmica do território, moldável pelas contribuições políticas e socioeconômicas.

“A perspectiva de gestão da APA é diferenciada, pois contribui com a mobilização e sensibilização para o ordenamento territorial, que se desenvolve através da interlocução direta com o poder público local, partilhando uma gestão mais ampla do território, inclusive em áreas privadas”, salienta a gestora.
Com 87% de floresta nativa, o Acre concentra 22 Unidades de Conservação (UCs) e 36 Terras Indígenas reconhecidas – 47,9% do território protegido por lei.

Processo de criação

A unidade de uso sustentável foi implementada em 2005, na gestão do então governador Jorge Viana. A proposta de transformar o local em uma área de proteção ambiental partiu da comunidade e foi amplamente apoiada pelo Estado.

Outro parceiro gestor importante é o Conselho Consultivo da Área de Proteção Ambiental Lago do Amapá. Com a missão de propor projetos que garantam os atributos sociais, ambientais, paisagísticos e de proteção da UC, o organismo é atuante e faz a diferença no processo de cogestão.

Perspectivas 2018
Com o crescimento do turismo de base comunitária no local, para 2018 a Sema planeja realizar a sinalização da unidade, em parceria com o coletivo Travessias na Floresta que tem estimulado a promoção da Trilha do Lado do Amapá. A procura por trekking na APA se reflete no aumento da demanda da oferta de serviços, fomento o ecoturismo e a geração de emprego e renda na comunidade.

A área de proteção ambiental também é utilizada para estudo e pesquisas científicas, pelas academias e instituições de ensino.

 

 

Maria Meirelles 

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.