Pastores afirmam que pandemia é uma chance de fortalecimento espiritual

Antonio Muniz

Ao serem entrevistados no programa RB Notícias, ao vivo, na TV Rio Branco-SBT, os pastores  Paulo Machado, da Igreja Asembeia de Deus e presidente da Associação dos Ministros Evangélicos do Estado do Acre (Ameac) e Roberto Casas, da Igreja Batista do Bosque, afirmaram que a pandemia do coronavírus, que já atingiu mais de quatro milhões e matou trezentos mil, é uma chance de ascensão e fortalecimento espiritual.

Segundo Roberto Casas, entrevistado no programa de quinta-feira, 28, não importa a crença, em comum a certeza de que a ameaça da doença que o mundo é a chance de cada um olhar para si e para o coletivo.  A constatação da fragilidade física, segundo Casas, nos faz repensar a vida de uma forma bem diferente do que era antes.

O pastor citou alguns versículos da Bíblia para ilustrar e embasar suas afirmações. Ele Lembrou que em Marcos 9: 23-27 “E Jesus disse-lhe: Se tu podes crer, tudo é possível ao que crê. E logo o pai do menino, clamando, com lágrimas, disse: Eu creio, Senhor! ajuda a minha incredulidade. E Jesus, vendo que a multidão concorria, repreendeu o espírito imundo, dizendo-lhe: Espírito mudo e surdo, eu te ordeno: Sai dele, e não entres mais nele. E ele, clamando, e agitando-o com violência, saiu; e ficou o menino como morto, de tal maneira que muitos diziam que estava morto. Mas Jesus, tomando-o pela mão, o ergueu, e ele se levantou.

Tanto Paulo Machado, que foi entrevistado sexta-feira, 29,quanto Roberto Casas, entendem que a crise do coronavírus provocou outras crises não menos graves e reocupantes, como a violência doméstica, atingindo mulheres, crianças e idosos, crise existencial, e crise econômica e financeira.

Segundo os dois líderes evangélicos, o isolamento social resulta, naturalmente, em ansiedade, estresse, medo e depressão. Nunca vivemos algo parecido.  Por isso há reações diversas em relação ao isolamento, distanciamento e sistema de rodízio no trânsito.

Os dois pastores lamentaram o fato de as igrejas terem sido atingidas pelos decretos e tiveram que suspender suas atividades, mas preferem não entrar em polêmica. Afiram apenas que era possível manter os cultos e outras atividades da igreja cumprindo as normas do Organização Mundial de Saúde (OMS) e os decretos das prefeituras e do governo estadual.

De repente, a constatação da fragilidade física, em que a vida de todos se vê ameaçada por um vírus que prenuncia com a interrupção da jornada física, faz pensar, segundo Paulo achado, em questões como o que tenho feito da minha vida? Que possibilidade tenho de recuperar o tempo mal utilizado? Como tenho distribuído meu carinho e atenção aos que me cercam? Quais os valores que tenho e podem ser melhor utilizados? 

De repente, segundo o pastor, temos a certeza de que somos peças importantes na vida do universo e sentimos vibrar em nós a vontade de recuperar o tempo perdido. Gravitar para a unidade divina, em sua opinião,  é o grande objetivo da humanidade. “E para alcançá-lo, precisamos vivenciar a justiça, o amor e a ciência”, afirma Paulo Machado. 

“Diante de uma tragédia, de ordem física e moral, morais somos abalados pelo convite à vida, pela vontade de nos elevarmos, pela atenção e solidariedade de nossos semelhantes. Assim, nos tornamos mais suaves, mais ternos, tolerantes e amigos. Estaremos então nos primeiros degraus da ascensão espiritual.”, afirmou.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.