Bolsonaro assina MP com R$ 450 milhões para estados e cidades atingidos por desastres, parte do dinheiro será destinado ao estado do Acre

Globo

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta segunda-feira (22) medida provisória que libera R$ 450 milhões para estados e cidades que tiverem danos causados por desastres naturais. De acordo com o presidente, parte do dinheiro será destinado ao estado do Acre, que sofre com danos causados por fortes chuvas.

Na quinta-feira (18), após reunião com o ministro Paulo Guedes, da Economia, o governador do Acre, Gladson Cameli (PP), afirmou que o governo federal iria enviar a verba a estados e municípios que sofrem com o aumento do nível das águas e risco de enchentes.

"Como ainda não tínhamos aprovado ainda o Orçamento, estávamos carentes de recursos pra atender o estado nessa questão de calamidade pública. Então conversamos com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, com a Receita, e com a própria Economia e o senador [Márcio Bittar, do Acre]", afirmou o presidente em vídeo divulgado pelo ministro Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria de Governo.

"Estamos assinando um MP para atender o Brasil em caso de calamidade no total de 450 milhões de reais e uma parte agora, após a assinatura dessa MP, vai pro Acre e para os municípios que por ventura decretarem estado de calamidade", prosseguiu.

O presidente disse ainda que deve visitar o estado na próxima quarta-feira (24) para visitar locais atingidos pelas enchentes. Bolsonaro fará um sobrevoo às regiões afetadas no Acre, principalmente no município de Sena Madureira.

Além de Bolsonaro e Ramos, o senador Márcio Bittar participou do ato de assinatura da medida provisória. A MP foi publicada em edição extra do "Diário Oficial da União".

"Agradeço aqui o Bittar, a sugestão havida e o pedido de socorro ao seu estado. Para nós, é motivo de satisfação poder atender o Acre, mesmo estando em uuma situação de calamidade. Gostaria que não fosse necessário fazer isso aqui, mas já que o estado se encontra nessa situação, vai ser atendido a partir da assinação [sic] dessa medida provisória", disse o presidente.

De acordo com informações da Secretaria-Geral da Presidência, dados do Ministério do Desenvolvimento (MDR) registram que "o mês de janeiro de 2021 registrou alto índice de desastres, sobretudo aqueles provocados pelas chuvas intensas".

Ainda de acordo com a Secretaria-Geral, o MDR alerta que "há risco de que eventos dessa natureza se intensifiquem nas próximas semanas".


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.