Em visita ao Into, Gladson Cameli conversa com servidores e pacientes sobre avanço da Covid-19

Agência

O governador Gladson Cameli realizou na noite desta quinta-feira, 19, uma visita surpresa às instalações do Instituto de Traumatologia do Acre (Into) onde fica o hospital de campanha exclusivo para atendimento dos casos suspeitos e confirmados de Covid-19.

Cameli tem externado preocupação com o avanço do número de casos da doença que voltou a crescer em todo o Brasil. No Acre, só na última semana foram registrados 1.374 novos casos, com uma média de 100 pessoas contaminando novas 107. E embora a rede pública de saúde ainda não esteja sobrecarregada, a rede privada já deu sinais de lotação de seus leitos clínicos.

Durante este momento do avanço da pandemia em todo o mundo, o governo do Acre, com o apoio do governo federal, realizou um investimento histórico na área de saúde pública, com a criação de 90 leitos de UTI e 352 leitos clínicos destinados ao combate da Covid-19, junto a dois hospitais de campanha, além do oferecimento atual de ampla testagem. Entretanto, mesmo com tamanho avanço em tão curto tempo, os cuidados pessoais e coletivos seguem necessários para que o sistema não corra risco de no futuro entrar em colapso.

Conversando com os profissionais de saúde e, principalmente, com os pacientes, Gladson Cameli relembrou a necessidade de todos adotarem o uso constante de máscara, limpeza das mãos e o distanciamento social para evitar o crescimento descontrolado de novos casos.

“Estou muito preocupado com a possibilidade de uma segunda onda da Covid-19 no Acre. Por isso fiz uma visita fora da agenda corriqueira para conversar com as pessoas no Into e pedir para que elas redobrem os cuidados. Tomando todos os cuidados necessários não precisaremos fechar o comércio. Neste momento não estou preocupado com política, mas com a saúde e bem-estar das pessoas e da economia acreana”, destacou o governador.

Pelas redes sociais, até mesmo pacientes que estavam em busca de atendimento no Into foram surpreendidos pela visita do governador. Uma das usuárias relatou: “Estive lá hoje para ser atendida, a espera é longa, e enquanto aguardava atendimento fui surpreendida pela sua visita. Elogiável sua atitude, chegou sem anunciar, sem fazer alarde da sua presença. Parabéns e minha gratidão pelo hospital construído em tão pouco tempo, que hoje é referência, e posso dizer que valeu o tempo de espera, pois fui muito bem atendida, profissionais de excelência”.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.