Segurança promove palestra sobre prevenção ao suicídio

A Secretaria de Justiça e Segurança Pública do Acre (Sejusp/Ac), por meio com o Centro Integrado de Assistência Biopsicossocial (Ciab) realizou, nesta sexta-feira, 18, a palestra com o tema “Setembro Amarelo: falar é a melhor solução”, ministrada pela psicóloga e voluntária do Ciab, Leidiane Rodrigues. A discussão,  com  expressiva presença dos servidores da Sejusp, trouxe informações gerais sobre o suicídio e mostrou as maneiras de prevenir diversas situações.

Durante a roda de conversa, que aconteceu no espaço interno da Secretaria, a psicóloga mostrou que 17% dos brasileiros já pensaram em cometer suicídio. Além disso, enfatizou que nem sempre a causa é a depressão, uma vez que fatores sociais, doenças mentais e aspectos psicológicos também podem contribuir. Por fim, destacou que falar sobre o suicídio não induz a prática, dando ênfase que a melhor forma de prevenção é saber escutar e oferecer apoio, seja com um gesto afetuoso, seja indicando ajuda especializada.

Falar é a solução

Para a psicóloga, a discussão foi de grande importância para a difusão do conhecimento aos servidores, destacando que a mídia tem um papel fundamental neste trabalho preventivo. “Falar sobre o suicídio não está induzindo ninguém a cometê-lo. É necessário que a mídia sempre esteja indicando os locais e as maneiras de se procurar ajuda, além de orientar as pessoas que estão próximas de alguém que esteja pensando em suicídio, para que elas saibam como abordar e orientar de forma correta e responsável”, ressalta.

O coordenador do Ciab, Antônio Azevedo, destaca que é de competência do centro a promoção de tais atividades que visam a promoção da saúde dos servidores e colaboradores da segurança pública no Estado, principalmente voltado ao lado emocional. “Imagina o servidor que está na linha de frente da segurança e que sofre estresse constante. Este necessita de ajuda profissional para lidar com esses momentos de crise que podem afetar o emocional e atrapalhar a vida profissional e pessoal”, finaliza.

 

Agência


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.