Dia de combate ao abuso e a exploração sexual contra Crianças e adolescentes é lembrado com blitz em porto Acre

Os motoristas que passavam pela vila do Incra na manhã desta quarta-feira, 18 se depararam com uma blitz diferente, realizada pela Secretaria Municipal de Ação e Assistência Social (Semas) e em parceria com Conselho Tutelar e Polícia Militar com o Projeto Guarda Mirim, os condutores recebiam material educativo em alusão ao dia Nacional de combate ao abuso e exploração sexual contra crianças e adolescente.

            A data instituída pela lei federal 9.970/2000 é lembrada em todo Brasil por causa da morte de uma criança de apenas oito anos de idade, no dia 18 de maio de 1973 em Vitoria no Espírito Santo, a menina Araceli Cabrera foi seqüestrada, estuprada e assassinada. O processo foi arquivado pela justiça e os acusados nunca foram punidos.

            A campanha continuará durante a semana com entrega de material educativo e conscientização das famílias, nas Vilas do V e na Sede do Município, e na próxima semana na Agrovila Caquetá.

            Para a Secretária de ação social Marilene knidel ainda existem muitos casos de abuso e exploração no Município, apesar de todo o trabalho de combate realizado pela equipe da Semas e Conselho Tutelar.

            “São registrados muitos casos no Conselho Tutelar e demais serviços, este trabalho é de fundamental importância, pois normalmente são pessoas comuns que convivemos no nosso dia que comentem esses crimes, na maioria das vezes pessoas bem próxima á vitima”, explica.

            Ainda de acordo com a responsável pela pasta, a idea de fazer uma blitz além de alertar as famílias, é também chamar atenção da comunidade para o problema. “A blitiz serve tanto de alerta para as vitimas quanto para os pais e responsáveis, como também para sensibilizar a comunidade para que esteja sempre alerta e denunciar caso saibam da pratica deste terrível crime contra nossas crianças e adolescentes”, destaca knidel.

 

Saiba como denunciar

Em caso de suspeita de abuso ou exploração sexual procure o Conselho Tutelar da sua cidade, delegacias especializadas em crimes contra crianças e adolescentes ou delegacia comum, procure a polícia militar, polícia Federal, ou Polícia Rodovia Federal.

Você pode ainda ligar para o Disque Direitos Humanos ligando para o número 100 ou em caso de emergência disque 190.

Assessoria


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.