Sindicato dos Jornalistas do Acre solicita prioridade na vacinação contra a Covid-19

Por Wanglézio Braga/ Foto: Reprodução

A direção do Sindicato dos Jornalistas do Acre (SINJAC) protocolou ofícios na Secretaria Estadual de Saúde (SESACRE) e também junto à Secretaria Municipal Saúde de Rio Branco (SEMSA) solicitando a inclusão dos profissionais da imprensa, principalmente os que atuaram e continuam trabalhando nas coberturas da Pandemia do novo coronavírus, para a imunização contra a Covid-19 no Acre. Os contatos oficiais com as autarquias foram realizados na semana passada.

Segundo o presidente da instituição, Victor Augusto de Farias, a inclusão dos profissionais da imprensa pública e privada no grupo prioritário da campanha da vacinação é uma forma de valorizar a categoria tendo em vista que os jornalistas cumprem inúmeras pautas, diariamente, em Unidades Básicas de Saúde, hospitais, locais de grandes aglomerações e de circulação do coronavírus com alto potencial de contaminação. Mais do que isso, a demanda leva em consideração que as atividades da categoria são relacionadas como serviços essenciais.

“Nós estamos na linha de frente, trabalhamos num serviço essencial tendo em vista que fazemos coberturas em hospitais, em cerimônias, conversamos com pessoas infectadas, enfim, trabalhamos a fim de que a população tenha informação de qualidade e em tempo real neste momento crítico que vivemos (...) Os profissionais da imprensa, no nosso estado, trabalharam muito durante a pandemia! Fizemos várias reportagens, matérias jornalísticas esclarecedoras, de alertas, de preocupação e nada mais justo que também sejamos incluídos no cronograma de vacinação. Além disso, nossa categoria também perdeu colegas durante a pandemia”, justificou Augusto ao Portal O Rio Branco.

O contato com a SESACRE e a SEMSA ocorreu mediante a uma sugestão feita pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) que recorreu ao Ministério da Saúde (MS) e solicitou a inclusão dos profissionais da comunicação nos grupos prioritários que vão receber a imunização. O Sindicato aguarda o retorno das Secretarias sobre o pedido.

Segundo a Press Emblem Campaing (PEC), organização da Suíça, o Brasil é o segundo país a registrar mais mortes de jornalistas durante a pandemia. A categoria perdeu mais de 55 profissionais. A organização, durante um artigo, recomendou que a vacina fosse prioritária também à imprensa.

VACINAÇÃO

A vacina adquirida em São Paulo desembarcou em Rio Branco na noite desta segunda-feira (19). Segundo a SESACRE, nesta primeira etapa, com as 41.760 mil doses enviadas pelo MS serão imunizados os povos indígenas aldeados, profissionais da Saúde e idosos, com 60 anos ou mais, institucionalizados, que são aqueles que moram em lares de longa permanência como o “Lar dos Vicentinos”.

Vale lembrar que as unidades e os critérios para vacinação dos profissionais são definidos pelas equipes do Departamento de Vigilância em Saúde, Centro de Operações Especiais para a Covid-19 (COE) e Programa Nacional de Imunização.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.