RBTrans diz que não é omissa no caso da greve dos motoristas e anuncia novas punições às empresas

Por Wanglézio Braga / Foto: Cedida

Rio Branco amanheceu novamente sem transporte público. E nessa sexta-feira (18) quem precisou se locomover pela cidade teve ainda mais contratempo com a forte chuva que desabou sobre a cidade. Ruas de acesso à prefeitura, no centro da cidade, foram mais uma vez bloqueadas com os ônibus que deveriam dar suporte à população.

No final da manhã, a Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (RBTrans) enviou às redações dos jornais nota de esclarecimento reafirmando que tomou medidas para notificar as empresas e dizer à população que a autarquia não é omissa.  

Na nota a RBTrans esclarece que “não foi comunicada sobre a paralisação dos motoristas de ônibus. Como medida notificou as empresas, de acordo com a lei municipal nº 332/1982, que regulamenta o Sistema de Transporte Coletivo do Município de Rio Branco, garantindo no caso de greve, a manutenção de 40% (quarenta por cento) dos ônibus em funcionamento. Após as empresas serem notificadas pela RBTrans, os motoristas voltaram a trabalhar com 85% da frota operante. No entanto, ocorreu nova paralisação por parte dos trabalhadores do transporte coletivo. Coube a este órgão de trânsito, a autuação das empresas, o que prontamente foi feito”.

Segundo a nota, “Após o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do Estado do Acre (Sindicol) informou a esta Superintendência sobre o Dissídio Coletivo de Greve. Os motoristas permanecem em greve até a data de hoje, 18, mesmo com liminar na justiça que garante ao Sindicol o retorno de 90% da frota e estipula multa diária no valor de R$ 50 mil, em desfavor do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte de Passageiros e Cargas do Estado do Acre – SINTTPAC”.

A nota que foi enviada pela autarquia municipal, porém, sem assinatura, rebate possíveis casos de omissão. “A RBTrans não está omissa. Todas as medidas administrativas cabíveis com amparo na legislação foram tomadas para o cumprimento do serviço essencial de transporte público”, concluiu.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.