Depasa elabora Plano de Ação 2021 com foco na ampliação do sistema

Agência

O sistema de abastecimento de água de Rio Branco conta atualmente com duas estações de captação e tratamento, 10 reservatórios e uma rede de distribuição de 1.147,91 quilômetros de extensão que leva água tratada a 211.260 moradores da capital (Fonte SNIS2018).

Com o objetivo de manter o pleno funcionamento e ampliar a capacidade do sistema, o Governo do Estado, por meio do Departamento Estadual de Água e Saneamento (Depasa) definiu esta semana o  Plano de Ação 2021.

Em reunião com a diretoria e equipe técnica nesta sexta-feira, 16, o diretor-presidente do Depasa, Luiz Felipe Aragão, detalhou as ações a serem implementadas em três etapas.

No primeiro momento, a prioridade será garantir que as unidades de produção possam funcionar sem interrupções. “Atualmente, a cada parada no sistema, são necessários de três a quatro dias para normalizar o sistema”, alertou um dos técnicos responsáveis pelo setor de distribuição, Wilson Vilela.

Nesse sentido, a estratégia será investir na aquisição de novos equipamentos. Durante a reunião com a equipe, o presidente do Depasa pediu celeridade no levantamento de dados e encaminhamento dos processos licitatórios para a aquisição de máquinas e equipamentos, como leitos filtrantes e decantadores, que vão permitir melhorar o processo de tratamento.  Esses e outros equipamentos necessários à melhoria do sistema devem ser licitados ainda este ano.

A segunda fase do plano de trabalho  prevê a modernização e automação do sistema. Com a ampliação de investimentos em tecnologia será possível monitorar e controlar o sistema em tempo real, o que vai permitir agilizar ações de combate a vazamentos, evitar maior desperdício de água tratada, e aumentar o nível do segurança. “ Com novas câmera vamos melhorar o sistema de segurança”,  explicou Luiz Felipe.

Por fim, o planejamento contempla melhorias da estrutura física que inclui 10 reservatórios e dezenas de registros de manobra utilizados para distribuição de água nos bairros da capital. Em visita aos reservatórios esta semana, o presidente do Depasa conferiu as condições de instalações e equipamentos. “O  que constatamos é que em termos de reservatórios temos uma boa estrutura, mas que pode e deve ser melhorada”, observou o presidente do Depasa.

Plano de setorização

No que se refere aos registros, atualmente, o Depasa realiza o mapeamento de todas a unidades. Realizada essa etapa do trabalho, a equipe técnica poderá se debruçar sobre o plano de distribuição por setorização. “A ideia é dividir a cidade em dois setores, parte alta e parte baixa, para dessa forma poder fazer uma distribuição mais eficiente, e evitar maiores transtornos com interrupções”, informou Wilson Vilela.

Provisão

Outro cuidado para manter o abastecimento regular na capital refere-se à provisão dos recursos e insumos necessários à produção e tratamento da água. Atenta às necessidades sazonais, a diretoria administrativa já elabora logística de compra de produtos químicos para o período de chuvas, quando devido a maior turbidez da água, há necessidade de aumentar a quantidade e dosagem dos produtos utilizados para o tratamento. “Já estamos trabalhando na programação de compras compatível com a demanda e nossa capacidade de pagamento”, informou o diretor administrativo-financeiro Mamed Arudá.

Metas

Para garantir água tratada com qualidade, regularidade e em quantidade suficiente para a população da capital, hoje estimada em 413,418, o Depasa precisa manter uma produção constante de 1.544 litros/segundo. O sistema existente atualmente tem essa capacidade de produção. Na quinta-feira,15, operou com 1510 litros. Mas essa média não tem sido constante. “Trabalhando com equipamentos desgastados as quebras e interrupções tem ocorrido com mais frequência, prejudicando a produção e é isso que queremos eliminar, o objetivo é manter o nível máximo de produção e melhorar a distribuição” pontuou Vilela.

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.