Notas médias do Enem 2019 caem em todas as provas objetivas

A nota média das 3.709.809 pessoas que fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019 caiu nas quatro provas objetivas, em comparação com a edição anterior. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) na manhã desta sexta-feira (17).

Para calcular as notas, o Inep usa a Teoria de Resposta ao Item (TRI) – conjunto de modelos matemáticos que permite comparar edições anteriores da avaliação. Já as redações são corrigidas uma a uma pelos mais de 5 mil avaliadores, conforme explicou o Inpe.

Em redação, a nota média foi de 592,9. O número de candidatos com nota 1 mil caiu de 55 para 53 em relação a 2018. O número de redações nota zero aumentou de 112.559 para 143.736.

Questionado sobre a queda das médias nas notas do Enem, o ministro da Educação, Abraham Weintraub, afirmou que o exame não pode ser usado para medir o ensino no país, mas que o resultado mostra que os alunos não evoluíram. "O ensino não avançou no Brasil. O resultado mostra que os alunos não apresentaram uma evolução ano contra ano, porque o pessoal votou no PT e tem a lápide da educação aqui embaixo, do Paulo Freire. É o paradigma do fracasso. Pior país da América do Sul. É isso.", declarou.

Gilberto Alvarez, diretor do Cursinho da Poli, analisa que as médias das notas mostram uma estabilidade com tendência de queda em relação a 2018. “Me preocupa o início de queda, porque essa radiografia, mostra que nós temos que atuar, urgentemente, para melhorar nossa educação básica", destacou.

Para Alvarez, apesar de todas as polêmicas, a prova manteve seu estilo: não aumentou, nem diminuiu o nível de dificuldade. "A prova do Enem continua primando pela excelência, é uma prova muito importante para o Estado brasileiro porque ela é uma prova diagnóstica. Ela possibilita que o Brasil analise as médias e os micro dados e com eles estabeleça política publicas sérias e aprofundadas para melhorar a educação no país", analisa.

Veja abaixo as médias gerais dos participantes por áreas, em 2019, comparadas aos anos anteriores:

 

Resultado de todas as áreas do conhecimento

Linguagens

  • Nota mínima – 322,0
  • Nota máxima – 801,7
  • Nota média geral – 520,9

Ciências humanas

  • Nota mínima – 315,9
  • Nota máxima – 835,1
  • Nota média geral – 508,0

Matemática

  • Nota mínima – 359,0
  • Nota máxima – 985,5
  • Nota média geral – 523,1

Ciências da natureza

  • Nota mínima – 327,9
  • Nota máxima – 860,9
  • Nota média geral – 477,8

Redação

143.736 pessoas zeraram a redação. Em 56.000 dos casos, o motivo da nota zero foi porque o participante entregou a prova em branco.

 

 

G1

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.