Bolivianos que pediram refúgio no Acre vão retornar, depois de anos, para Cobija

Por Wanglézio Braga

Foi marcado para a tarde de hoje (14), o retorno de inúmeros bolivianos que pediram refúgio no Acre depois de supostos atos de perseguição praticados pelo Governo de Evo Morales. De acordo com a imprensa boliviana, os refugiados vão cruzar a ponte entre Epitaciolândia e Cobija, Ponte Internacional, por volta das 17h30mim (horário da Bolívia). O ato vai ser acompanhado pela população e por líderes do movimento que ajudou na queda do ex-presidente, Evo Morales.

Ao jornalista Hugo Mopi Soliz, o refugiado Júlio Diego Romagna disse que volta ao seu país depois de 11 anos. Ele comentou que será uma oportunidade para que todos que fugiram possam retornar, andando, ao Departamento de Pando. Uma grande festa está marcada para receber o grupo e contará com diversas atividades como carreata pelas avenidas da cidade, discursos e orações.

"Vamos nos encontrar com amigos, com familiares. Vamos atravessar caminhando, retornaremos ao nosso país depois de anos. Finalmente vamos respirar os ares da democracia", vibrou Romagna. 

Bolivianos que vivem na capital acreana, Rio Branco, também estão fazendo o mesmo. Alguns deixaram a cidade bem cedo da manhã pela rodoviária e seguiram para Epitaciolândia, fronteira com Cobija. Não se sabe o número de refugiados. Mas, o retorno deles ocorre após a renúncia de Evo Morales e autoproclamação da senadora, Jeanine Áñez, como presidente interina do Estado Plurinacional da Bolívia. 

Apesar de não se encontrar asilado no Brasil, é grande a expectativa para que o ex-governador de Pando, Leopoldo Fernandez, também possa chegar à Cobija. Ele é considerado preso político na Bolívia após envolvimento no suposto “Massacre de Povenir”. Leopoldo vinha sendo acusado dos delitos de assassinato, terrorismo, homicídio, associação delituosa e lesões graves e leves. Todo o processo vinha se estendendo desde 2008, quando teve que superar vários incidentes. Ele encontra-se em prisão domiciliar, na cidade de La Paz.

EVO AGORA RECEBE ASILO POLÍTICO

O México anunciou nesta segunda-feira (11) que concedeu asilo político a Evo Morales. De acordo com o chanceler mexicano, Marcelo Ebrard, o ex-presidente da Bolívia pediu proteção um dia depois de deixar o cargo sob pressão de opositores, militares e policiais. Ele vive na cidade do México, capital daquele país, e não terá o endereço divulgado pelo governo local.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.