MPAC se manifesta favorável à prisão preventiva de envolvidos em racha com morte

O Ministério Público do Estado do Acre (MPAC), por intermédio da 6ª Promotoria de Justiça Criminal, com atribuições perante a 2ª Vara do Tribunal do Júri de Rio Branco, obteve decisão favorável ao pedido de prisão preventiva de Ícaro José da Silva Pinto e Alan Araújo de Souza, envolvidos no “racha” que matou Jonhliane Paiva Lima, 30 anos. 

A investigação constatou que, no dia 06 de agosto, feriado estadual, os acusados estavam disputando “racha” na Avenida Antônio da Rocha Viana, em Rio Branco, e fugiram do local do crime, sem prestar socorro à vítima, que estava numa motocicleta a caminho do trabalho no início da manhã.

Ainda segundo a polícia, os dois tinham saído de uma festa e estavam embriagados. Ícaro José da Silva, que dirigia um carro modelo BMW, atropelou a vítima, que era funcionária de uma rede de supermercado. Já Alan Araújo estava em um Fusca, modelo importado. 

“As condições sociais e econômicas entre a vítima e o autor do fato são extremamente antagônicas: enquanto a vítima saía às 6h00 da manhã para trabalhar, os autores do fato voltavam às 6h00 da manhã de uma festa embriagados, no meio da semana; enquanto a vítima conduzia uma motocicleta simples, paga em prestações mensais por ela mesma, os autores dirigiam carros de luxo fornecidos por seus pais”, diz o promotor de Justiça Efrain Enrique Mendoza Mendivil Filho.

O promotor acompanha as investigações e se manifestou favorável ao pedido de prisão preventiva. Ele ressalta que os dois rapazes irão responder pelo mesmo crime.   
 
"Não só aquele que colidiu com a motocicleta tem que responder pelo crime, como também o outro condutor. Os dois vão responder por homicídio doloso contra a vítima porque estavam fazendo racha e são autores do crime. É o mesmo crime, a diferença que há é que o carro que passou por cima de vítima e a jogou no ar foi o do Ícaro. Não foi um acidente, mas sim um homicídio doloso", disse o promotor.

Além da prisão preventiva, o MP acreano pediu a adoção de outras medidas cautelares, entre elas, a quebra do sigilo de dados telefônicos e acesso as redes sociais dos acusados.

 

Agência de Notícias do MPAC


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.