Governo do Acre lança plano de vacinação contra Covid-19

Previsão é de que as vacinas possam ser distribuídas entre o dia 25 de janeiro e 10 de fevereiro, a depender da liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Repercutido como um dos estados que mais tem se movimentado para a aquisição de vacinas e estratégias de imunização, o governo do Acre, por meio da Secretaria de Estado de Saúde do Acre (Sesacre), apresentou na tarde desta terça-feira, 12, por meio de live no canal do Telessaúde no YouTube, o Plano Estadual de Operacionalização de Vacinação contra a Covid-19.

O Acre contará com cerca de 500 mil doses de vacina produzidas pela Fiocruz, que serão enviadas pelo Ministério da Saúde para imunizar os grupos prioritários que são: trabalhadores da saúde, educação, forças de segurança e salvamento, pessoas acima de 60 anos (divididas por fase e faixa etária), indígenas, pessoas com comorbidades, pessoas com deficiências permanentes severas, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo, transporte aéreo e portuários; e, ainda, população privada de liberdade e funcionários desse sistema.

Por meio das articulações e do incansável empenho do governador Gladson Cameli, o Acre contará com mais um quantitativo de 700 mil doses que serão adquiridas pelo Estado – produzidas pelo Instituto Butantan – para a vacinação do público da faixa etária de 20 a 59 anos que não estejam incluídos nos públicos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Ambas serão aplicadas em duas doses, com intervalo de 30 dias entre uma e outra.

 

O secretário de Estado de Saúde, Alysson Bestene, chama a atenção e pede o apoio da população para que possa somar forças junto à labuta do Estado em garantir a imunização dos acreanos contra a Covid-19. “Sozinha a vacina não vai acabar com a pandemia, ela precisa da adesão de todos e que, principalmente, continuem a seguir os protocolos sanitários de prevenção ao coronavírus”, enfatizou o secretário.

No Acre, assim que chegarem as vacinas, a estratégia de vacinação será dividida em três fases, inicialmente:

Fase 1: trabalhador da saúde, pessoas acima de 75 anos, pessoas de 60 anos institucionalizadas (que estejam em asilos ou casas de repouso), populações indígenas e povos e comunidades ribeirinhas;
Fase 2: pessoas entre 60 e 74 anos de idade, sadias que podem se deslocar;
Fase 3: pessoas com comorbidades, que são doenças preexistentes.

“Precisamos aguardar a aprovação da Anvisa, a logística de entrega de vacina ao estado do Acre e, assim que recebermos as vacinas, estaremos enviando aos municípios e abrindo oficialmente a campanha de vacinação contra a Covid-19”, explicou a coordenadora do Programa Nacional de Imunização, Renata Quiles, explicando que não há um limite de vacina em cada fase. “Se eu tenho a vacina disponível e a minha meta na fase 1 foi alcançada, eu já pulo para a fase 2”, exemplificou.

Por se tratar de uma vacina nova e sendo necessário alcançar 100% de cobertura vacinal, não há como estabelecer um limite para a finalização da campanha. Desta forma, ela vai acabar quando o maior número possível de pessoas for imunizada.

Capacidade de armazenamento

Com a entrega da câmara fria, estimada para o final de janeiro, e mais o suporte de armazenamento de todo o estado, o Acre contará com uma capacidade de armazenamento de 1,6 milhão de doses de vacinas.

Estrutura para transporte de vacinas

1 central estadual de Rede de Frio
232 salas de vacinas ativas
22 centros municipais de rede de frio
1 centro estadual de rede de frio
1 centro auxiliar
1 base auxiliar para armazenar vacinas (Covid-19 e gerais)
2 centrais de rede de frio: regional do Juruá e Alto Acre
2 freezers: Cruzeiro do Sul e outro em Rio Branco
2 caminhões baús refrigerados
2 caminhonetes
Lanchas e barcos

Suporte

Além da estrutura citada acima, o governador Gladson Cameli, preocupado em garantir a imunização de todos, disponibilizou o helicóptero do Estado e tudo o mais que for necessário para o suporte no transporte das vacinas desde a capital ao município mais distante.

Público que não pode ser vacinado

De acordo com o plano já realizado pelo Ministério da Saúde, o público de 0 a 18 anos de idade não será vacinado nesta etapa, tendo em vista que não houve estudos, e portanto não é possível saber o que a vacina ocasionaria ao indivíduo. Grávidas também não podem tomar a vacina pelo mesmo motivo.

Também não podem receber a vacina contra Covid-19 pessoas que já apresentaram uma reação anafilática confirmada a uma dose
anterior de uma vacina contra Covid-19, e, também, indivíduos que apresentaram uma reação anafilática confirmada a qualquer componente das vacinas.

Seringas

Tendo em vista que daqui a alguns meses a campanha de vacinação contra a influenza também vai ocorrer, o setor de imunização do Estado já vinha se organizando com a aquisição de seringas. Sendo assim, atualmente o Acre conta com um estoque de 700 mil seringas (Estado e Municípios).

Além desse quantitativo, o governo se prepara para aquisição de mais de 1.100.000 de seringas, sendo que o Ministério da Saúde ainda irá enviar cerca de 500 mil unidades.

Situação Epidemiológica do Acre

De acordo com as informações que constam no Plano de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, até o dia 10 de janeiro de 2021 foram registradas 122.091 notificações, sendo e 43.127 casos confirmados de infecção pelo novo coronavírus.

Ainda, foram notificados 825 no período de 06 de abril de 2020 a 05 de janeiro de 2021, sendo que 70,78% foram de pessoas acima de 60 anos. Ainda, pessoas com comorbidades representam 64,60% do número total de óbitos.

Dessa maneira, estima-se que cerca de 60 a 70% da população precisaria estar imune para interromper a circulação do vírus, sendo necessária então, a vacinação de 70% ou mais da população para eliminação da doença.

Acesse o plano na íntegra: PLANO ESTADUAL COVID 11.01.2021

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.