Dez frigoríficos do Acre estão na mira do Ministério Público Federal

Por Wanglézio Braga

Pelo menos dez frigoríficos instalados no Acre estão na lista dos que ainda não firmaram compromissos públicos de controle de origem de matéria-prima e devem ser fiscalizados pelo Ministério do Meio Ambiente e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Ontem (11) o Ministério Público Federal (MPF) divulgou uma lista dos empreendimentos que estão irregulares perante o projeto “Carne Legal” que foi criado neste ano.

Segundo o MPF, o objetivo do projeto “Carne Legal” é monitorar e fazer o controle ambiental da cadeia produtiva da pecuária na Amazônia. Mais de 30 empresas que vendem gado, carne ou couro bovinos produzidos na região amazônica já assinaram o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) da Carne, um acordo que prevê 13 obrigações, entre elas a de não adquirir gado criado em áreas de desmatamento ilegal ou de fornecedores em desconformidade com a legislação trabalhista e ambiental.

“Uma das providências é justamente a fiscalização nas empresas frigoríficas listadas na recomendação, já que elas não se comprometeram a verificar a origem da carne e a criação de gado responde por boa parte do desmatamento ilegal registrado na Amazônia”, diz o trecho de uma nota publicada no site da instituição que completa “a verificação da procedência da carne é uma das formas mais eficazes de combate ao desmatamento ilegal”.  

Ao todo, devem receber a fiscalização 10 empresas no Acre, nove no Tocantins, oito em Rondônia, sete no Mato Grosso, três em Roraima, duas no Amapá, duas no Maranhão, uma no Amazonas e uma no Pará.

Especificamente no Acre, a lista é composta por: Frigorífico Boi Bom (Acrelândia), Frigoporto (Porto Acre), C.R.O. Ribeiro (Senador Guiomard), Alexandrino (Brasiléia), Matadouro Refúgio (Feijó), Organizações G.C. Ltda (Plácido de Castro), J.P. - A.J. Rodrigues de Mesquita Imp. e Exp. (Epitaciolândia), Boi Verde Cooperativa dos Agricultores e Pecuaristas de Tarauacá (Tarauacá), Frisacre - Frigorífico Santo Antonio do Acre Ltda (Rio Branco), Frigorífico Nosso Ltda (Senador Guiomard).

As recomendações são assinadas pela Câmara de Meio Ambiente e Patrimônio Cultural (4CCR) e pelos procuradores da República que atuam na Amazônia Legal.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.