Deputados repudiam agressão contra Jenilson: Tchê diz que isso não foi orientação do Governador

Por Wanglézio Braga

A repercussão da suposta agressão ao deputado, Jenilson Leite (PSB) quando participava do protesto com os servidores da Saúde pautou as discussões na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) durante a sessão de hoje (10). O deputado, José Luiz Tchê (PDT) que é líder do governo na Casa de Leis, repudiou o episódio e disse que “Nada se resolve com violência, o diálogo sempre será a melhor saída!”.

“Eu lamento muito, essa não é uma orientação do Governador Gladson Cameli. Não é! Eu participei ontem da reunião com o sindicato da saúde, acho que foi uma bela experiência. Eles estão reivindicando o que é de direito, o que é melhor para melhorar a vida das pessoas. Agora não podemos bradar que o governo não está trabalhando em prol dos servidores!”, discursou Tchê que foi vaiado pelos manifestantes enquanto fazia uso da Tribuna.

Já o deputado Fagner Calegário se aproveitou da situação para dizer que é mestre em Taekwondo e chamou o subsecretário da Sesacre, acusado de ter provocado a agressão, Coronel Jorge Resende, para um duelo. “Se ele quer brigar com servidores e deputado aqui está um que sai na porrada com ele”, disparou.

O líder do PCdoB na Assembleia, deputado Edvaldo Magalhães, disse que “Estamos diante de um absurdo sem tamanho! O que aconteceu hoje durante ação da greve dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde foi um ato de covardia, truculência, brutalidade, afronte e violência para com os servidores e profissionais da área e também para com o colega deputado Jenilson”.

Magalhães concluiu questionando o governo Cameli. “É assim que o governo quer tratar os problemas do nosso estado e da nossa população? Com esse comportamento totalmente repudiável diante de servidores e parlamentares? Pois não aceitaremos. Nós, acreanos, não toleraremos esse absurdo, despreparo e desgoverno. Estamos acostumados a derrotar ditadores”, finalizou.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.