Turismo rural: Prefeitura identifica propriedade com potencial para atrair turistas

No Polo Agroflorestal Benfica, localizado no bairro Vila Acre, em Rio Branco, vive o produtor rural Valdomiro Bento. A propriedade de 12 hectares é a única fonte de renda dele e de sua família. Valdomiro já apostou em diferentes culturas para trabalhar, mas foi com o leite que ele descobriu uma grande oportunidade de aumentar o lucro, de forma ambientalmente sustentável e saudável para os animais.

“Eu produzia feno aqui, mas não deu certo. Foi quando recebi um médico veterinário da Universidade Federal do Acre (Ufac) que me desafiou a investir na bacia leiteira. Eu tinha uma caminhonete, vendi e investi tudo em vacas e equipamento para dar suporte”, disse o produtor.

A propriedade de Valdomiro se tornou referência na cadeia leiteira da capital, tanto que ele foi um dos produtores que fez parte das discussões da Prefeitura de Rio Branco para criação e implementação do Plano Municipal da Agricultura Familiar e está entre os agricultores com grande potencial para investimento em turismo rural.

“Nós estamos nos preparando para investir no Turismo Rural. Essa é uma aposta da prefeita Socorro Neri que acredita no potencial dos nossos produtores. O Valdomiro tem aqui uma experiência de sucesso, pois além de ter uma excelente produção de leite e derivados, ele desenvolve o manejo sustentável da atividade”, explicou o secretário Municipal de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Econômico (Safra), Paulo Braña.

Atualmente, são produzidos 100 litros de leite por dia. Ele tem 22 vacas e cada uma produz em média 6,5 litros, sendo que a média do estado é 3,8. “Aqui nós ajudamos a alimentação dos animais, ajudamos no controle leiteiro, com pesagem, avaliação técnica, de forma que temos o histórico de todos os animais”, explicou o médico veterinário, da Ufac, Eduardo Mitke.

Os animais comem uma mistura do capim napiê com ureia, que representa proteína e energia. O curral é limpo, silencioso e proporciona aos animais um ambiente tranquilo para ordenha, fator que é muito importante na produção do leite. Os bezerros e as vacas só tomam água de poço semiartesiano, com captação de reservas mais profundas e de melhor qualidade.

Valdomiro também produz cerca de 10 queijos por semana, todos já com venda garantida. Além disso, Valdomiro reaproveitou dois hectares de terra e plantou macaxeira.

“A ideia é que as famílias possam vir aqui, tomar um café da manhã regional, com produtos diretos da fazenda, possam ter a oportunidade saber como é feita a ordenha, como são produzidos os queijos, e possam ter um contato maior com a natureza. É isso que nós queremos proporcionar. Além disso, poderá ser mais uma fonte de renda para o produtor”, enfatizou Braña.

 

ASSESSORIA


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.