Servidores vão protestar na frente da Aleac nesta terça-feira: Criação de Instituto é a pauta da vez

Por Wanglézio Braga

Foto: Juan Diaz

Profissionais da Saúde do Acre estão marcando mais uma paralisação contra o Governo Gladson Cameli, do PP. É a terceira em menos de um mês. O objetivo desta vez é para forçar os deputados a não aprovarem um projeto do governo do Acre que, em tese, terceiriza a Saúde por meio da criação do “Instituto da Saúde do Acre”. A mobilização acontece nessa terça-feira (10) a partir das 8 horas na frente do Palácio Rio Branco.

A ideia real do Governo por meio do Projeto de Lei (PL) que cria o Instituto de Saúde do Acre é acomodar os servidores do Pró-Saúde que seguem com o destino indefinido. Mais de 1 mil servidores, na visão do Sindicato dos Trabalhadores da Saúde (SINTESAC), devem perder seus empregos.  

“No projeto de lei há previsão de ceder servidores do quadro da Sesacre para esse Instituto e os servidores do Pró-Saúde que foram demitidos continuarão demitidos, não retornam e os que estão na ativa possam continuar na mesma situação de hoje como, por exemplo, uma jornada exorbitante e péssimas condições de trabalho”, frisou Adailton Cruz, presidente do SINTESAC.

Os servidores estão sendo convocados em rede social para protestar com faixas, cartazes e pessoalmente na frente do prédio da Assembleia Legislativa do Acre (Aleac).   


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.