Gladson Cameli determina que Controladoria Geral realize auditoria na Educação

Agência de Notícias

Governo prepara desde o ano passado um aparato grandioso, em parceria com as instituições fiscalizadoras, para coibir práticas ilícitas na administração pública

O governador Gladson Cameli determinou à Controladoria Geral do Estado (CGE) que realize uma mega-auditoria na Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esportes do Acre (SEE), com análise de planilhas, memorandos e outros documentos, todos relativos às gestões no período de 2016 a 2021, em face dos últimos fatos envolvendo a pasta na imprensa local.

No despacho nº 130/2021, enviado à CGE, o governador enfatiza que é preciso buscar transparência na gestão pública do Estado e autoriza a Controladoria a implantar “medidas administrativas de controle e correição, amparadas no artigo 32, inciso VIII, da lei complementar 359, de 24 de maio de 2019”.

O procedimento, que será coordenado diretamente pelo controlador-geral do Estado, Luis Almir Brandão Soares, já está em andamento desde as primeiras horas desta terça-feira, 6.

Soares e a sua equipe se reuniram pela manhã no gabinete da secretária interina de Educação, Andreya de Oliveira Abomorad, para traçar as primeiras estratégias, verificando documentos e organizando as metas para iniciar a superauditoria.

“Para essa operação, dos 40 servidores que temos na Controladoria, estamos destacando 16. Eles farão um estudo preliminar que deve durar de 30 a 60 dias, em 100% dos setores administrativos e nas 619 escolas, quando, então, a partir desse prazo, teremos algumas informações preliminares para a sociedade”, explica Brandão Soares.

O controlador-geral pontuou que “a meta do governador Gladson Cameli é a de promover total transparência na administração da Educação, apresentando soluções para que a gestão seja de excelência, com total lisura e legalidade”, e apontando eventuais desmandos que surgirem.

Nesta terça-feira, 6, a CGE publicou no Diário Oficial do Estado do Acre a portaria nº 17, de 5 de abril de 2021, assinada pelo próprio controlador geral, considerando a determinação do governador mediante o despacho mencionado.

O documento cita que para “cumprimento dessa designação [do governador], a SEE deverá disponibilizar todos os meios administrativos, financeiros e operacionais à equipe técnica da CGE”.

Na reunião pela manhã na SEE, Luis Almir Brandão Soares listou alguns dos principais setores que passarão pela auditoria, entre eles o Administrativo e Controle Interno, Convênios e Contratos (onde funcionam os serviços terceirizados), Transporte, Galpão e Almoxarifado, e Diretoria de Ensino. “O objetivo é que, de 15 em 15 dias, possamos emitir boletins para a sociedade e para a imprensa sobre o que foi apurado”, frisa Soares.

Vale ressaltar que, desde que foi convidado a fazer parte da administração Gladson Cameli, o secretário de Educação, Mauro Sérgio Ferreira da Cruz, que no momento está em férias, sempre primou pela lisura da gestão, posicionando-se contra quaisquer ilícitos que pudessem ocorrer, impulsionando transparência em todas as ações da pasta. O fator, inclusive, foi frisado pela secretária-interina, Andreya Abomorad.

“Sob hipótese alguma aceito corrupção no meu governo”

O governador Gladson Cameli já havia pedido total transparência aos gestores estaduais, ano passado, não só porque é um dever do administrador honrar o erário público, mas também diante do cenário atípico que causou a pandemia em todo o país.

Para Cameli, o combate à corrupção, principalmente com ênfase na administração pública, já é uma das suas maiores prioridades e se intensificou como carro-chefe do governo, desde janeiro deste ano.

Sobre essa questão, o governador tem sido categórico: “Sob hipótese alguma aceito corrupção no meu governo. Firmei esse compromisso com a população acreana e venho cumprindo rigorosamente com a minha palavra”.

O chefe do Executivo estadual acrescenta ainda que “quem tentar, pagará as consequências dentro do que determina a nossa legislação”.

No segundo semestre de 2020, o governador já havia feito gestões nesse sentido com todos os órgãos afins, entre eles os ministérios públicos estadual e federal, Receita Federal e Polícia Federal.

No âmbito das instituições estaduais, as atuações conjuntas envolvem, além do Grupo de Enfrentamento aos Crimes Contra a Ordem Tributária, o Gecot, e da Delegacia de Combate à Corrupção, a Deccor, mais duas delegacias: a de Repressão às Ações Criminosas Organizadas, a Draco, e a de Repressão ao Narcotráfico, Denarc, com o intuito de enfrentar o crime de maneira mais técnica e eficaz, de modo a buscar a descapitalização e a recuperação de ativos criminais.

Há ainda a Diretoria de Administração Tributária, da Secretaria da Fazenda, e o Grupo de Atuação Especial de Combate à Corrupção, o Gaecc, do Ministério Público do Estado do Acre.


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.