Com 25% de umidade, Acre deve ficar em estado de atenção nos próximos dias

Por Wanglézio Braga

Os próximos dias serão quentes e abafados no Acre, clima comum para à época do ano. Em nota enviada pelo Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM), o destaque da meteorologia é para o quantitativo da baixa umidade relativas do ar. “A massa de ar quente e seco ainda predomina sobre o estado e dificulta a formação de nuvens de chuva. Com isso, a previsão é de mais um dia ensolarado, seco e de temperaturas elevadas em todo o estado. Poucas nuvens se formam ao longo do dia e não há previsão de chuva. A umidade do ar fica baixa e pode atingir valores mínimos próximos dos 25% no leste e no sul do estado e de 30% nas demais áreas do Acre”.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o índice considerado confortável no que diz respeito à baixa umidade é de 60%. Nos últimos dias, a umidade relativa do ar no Acre e região ficam oscilando entre 25% a 50%.   

Problemas respiratórios causados principalmente em crianças e idosos vêm superlotando os postos de saúde e hospitais do Acre. Em épocas de pandemia do novo Coronavírus, a população deve ficar atenta, principalmente os pais em relação a saúde dos pequenos. Com isso, o Ministério da Saúde (MS) orienta que em situações como essas, os cuidados com a saúde começam sempre com uma boa hidratação e alimentação saudável. De acordo com a cartilha do ministério, beber bastante água e soro caseiro ajuda no funcionamento dos órgãos.

Ainda de acordo com a MS, é sempre importante assumir alimentação saudável e se hidratar bastante. Em casa, a população deve deixar o ambiente livre para a circulação de ar, bem limpo e sem a presença de objetos que acumulem poeira. Atualmente está em alta o uso de umidificadores, que podem ajudar a melhorar a qualidade do ar dentro de casa. Existem vários tipos, mas o uso deles também deve ser controlado.

Os especialistas dizem que espalhar bacias ou baldes com água é alternativa para quem não possui os umidificadores. Nesta época do ano, a prática de atividades físicas sem controle pode ocasionar problemas graves de saúde, como forte desidratação.  

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.