Bilionária Luiza Trajano anuncia ajuda humanitária ao Acre

Por Wanglézio Braga / Foto: Reprodução

Umas das mulheres mais ricas do país com fortuna de US$ 4,9 bilhões e reconhecida empresária de sucesso no mundo por comandar o “Magazine Luiza”, Luiza Helena Trajono, informou por meio de nota que está doando ao Governo do Acre cerca de 500 mil reais em itens para ajudar as famílias acreanas atingidas pela alagação. O anúncio das doações foram repassadas um dia após a visita do presidente Jair Bolsonaro (Sem partido) ao Estado.

De acordo com o comunicado, vão ser enviados 1 mil colchões, 1 mil travesseiros e 1 mil pacotes de fraldas. As doações serão direcionadas aos órgãos de assistência humanitária. O governo do Acre ainda não comentou sobre a doação, muito menos fez algum tipo de agradecimento público à ação.

“Com objetivo de atender a população de maneira mais eficiente, a equipe de filantropia do Magalu entrou em contato com a Secretaria Estadual de Assistência Social do Acre colocando-se à disposição para auxiliar com as necessidades. A solicitação dos colchões, travesseiros e fraldas foi de total definição do órgão governamental. Desde o início da pandemia, as famílias controladoras e a companhia estão engajadas em projetos de combate à disseminação da covid-19 no país. Com a crise no Acre não foi diferente. O Magalu entende sua responsabilidade social no país e se apresenta em um momento de tanta dificuldade para a região”, informa a nota.

As doações ao Acre ocorrem após campanha massiva de famosos, artistas e criadores de conteúdo. O Estado vem enfrentando ao mesmo tempo a pandemia do novo coronavírus, enchente, surto de dengue e crise migratória. Ainda sobre a alagação, o governo decretou calamidade pública nos municípios atingidos pelas inundações causadas pela cheia dos rios.  

UNIDOS PELA VACINA

Em fevereiro, Luiza Trajo, lançou o movimento “Unidos pela Vacina”.  O movimento pretende possibilitar a vacinação de todos os brasileiros até setembro deste ano. "A gente não discute política, não procura culpado. A gente discute, sim, como levar a vacina até todas as pessoas do nosso país”, escreveu Luiza em sua rede social.

A principal ação do movimento deve ser uma campanha publicitária para incentivar as pessoas a se vacinarem. São mais de 400 nomes ligados a empresas e entidades da sociedade civil lutando para que o projeto avance o quanto antes. O Unidos Pela Vacina começou a tomar forma a partir de outro grupo presidido pela empresária, o Mulheres do Brasil, que soma mais de 70 mil mulheres de diversos setores com o intuito de criar engajamento político em busca de avanços no país. “Estamos trabalhando 360 graus. Se você não colocar uma meta, não se desafia. Estamos nos desafiando”, disse a empresária.

 

 


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.