Mãe revela que Susana Naspolini morreu de mãos dadas com a filha, Júlia

Na manhã desta quinta-feira, 27 de outubro, Dona Maria, de 78 anos, mãe de Susana Naspolini, conversou com a imprensa no enterro da filha, realizado no Cemitério São João Batista, em Botafogo, no Rio de Janeiro. Ela contou que a jornalista morreu de mãos dadas com a filha, Júlia, de apenas 16 anos.

“Ela ficou muito aturdida, muito agitada. Perdidinha, porque ela acompanhou a mãe no leito. Ela deitava do lado da mãe no hospital e ficou ali, até a mãe falecer, de mãos dadas. E ela ficou bem desorientada mesmo. E eu comecei a ficar muito preocupada em vê-la daquele jeito. Tem gente que não acredita em milagre, mas eu acredito. Foi o milagre da Susana. Quando ela viu que a mãe tinha falecido, disse: ‘é, pessoal, vamos resolver os problemas agora’. Levantou e começou a ajudar todo mundo a fazer o que precisava. E ficou ativa nessa atividade. Porque tinham muitas coisas para resolver no hospital. Ela ajudou muito, está aguentando bem. Claro que é uma adolescente, mas eu acredito muito em milagres. Ela tem muita fé e eu também. A Susana deu esse exemplo para ela. E acho que ela vai ser bem sustentada por esse fé e vai ser bem encaminhada na vida. Porque o legado da Susana para ela foi esse e ela está muito disposta a segui-lo”, disse.

Órfã também de pai, o jornalista Maurício Torres, morto em 2014, Júlia não estará sozinha, garantiu a avó. “A Julinha tem uma compreensão absurdamente além da idade que ela tem. A gente sempre também foi muito aberto com ela. A nossa família, a minha família particularmente, é muito próxima dela. Ela nunca perdeu os vínculos com Criciúma, com Santa Catarina. As duas sempre foram para lá em qualquer oportunidade. Isso eu estou insistindo muito com ela: ‘Júlia, você perdeu a mãe, o pai, mas somos todos uma família. Conta sempre com isso. Perdeu duas pessoas que você ama muito, está sofrendo, mas nos somos sua família. E você não se preocupa com isso que nós vamos ser sua família”, disse.

Com tom de voz calmo, Dona Maria falou como tem se sustentado com a perda da filha.  “Se eu disser para você que estou num nível de dor e de tristeza quase no máximo, não seria mentira. Mas a fé não mostra morte como um fim. Eu olho para Susana… eu dizia quando ela estava falecendo: ‘fica tranquila, deixa tudo acontecer com calma, porque essa morada aqui é provisória. A gente está aqui se preparando para a morada que é de verdade. E você merece, pela vida que levou, pelo bem que fez, você merece essa morada’. Isso eu conversei com ela até o último minuto. E eu acredito, falei o que eu também sinto”, declarou.

 

[O Fuxico]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.