Casamento de Lula e Janja: após mistério, festa reúne políticos e artistas

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e a socióloga Rosângela Silva, a Janja, se casaram na noite de quarta-feira (18) em uma cerimônia fechada em uma casa de festas no Brooklin, na zona sul de São Paulo. Lula chegou ao local às 18h25 pela entrada de serviço, em um carro preto e de vidros escuros. Janja, às 19h27. Eles não falaram com a imprensa.

O buffet Contemporâneo 8076, local escolhido para a celebração, evitou divulgar detalhes. Mais cedo, a reportagem do UOL tentou apurar junto ao salão se seria ali a cerimônia; ouviu em resposta que, na noite de hoje, o lugar abrigaria uma "festa de debutante". Nem os lojistas da rua sabiam de quem era o evento.

Lula e Janja saíram por volta da 0h15 — sem falar com a imprensa. Não houve tumulto, e a festa continuou para os convidados. A previsão é que se encerraria até as 3h30.

Sigilo, grades e segurança na casa de festas

Pouco antes de 18h foram colocadas grades de proteção na entrada da casa de festas, e a segurança foi reforçada. Então a reportagem —que também havia passado por outras unidades da mesma rede de buffets— conseguiu confirmar que a festa seria ali. Com objetivo de realizar uma cerimônia íntima e pessoal, sem pinta de grande evento político, os detalhes foram mantidos no maior sigilo possível.

Até os convidados só souberam do endereço da festa horas antes, por meio de um QR Code impresso no convite. Eles começaram a chegar ao local por volta de 18h15. A cerimônia estava prevista para as 19h —mas atrasou cerca de meia hora. Na entrada, todos tiveram os celulares confiscados. Apenas três médicos, que também foram convidados, receberam autorização para ficar com o aparelho durante a cerimônia.

Pouco antes das 20h, a assessoria do petista divulgou uma foto de Janja vestida de noiva, em imagem feita pelo fotógrafo de Lula, Ricardo Stuckert. A cerimônia durou pouco mais de meia hora —a reportagem ouviu gritos e uma salva de palmas, seguidas de "olé, olé, olé, olá, Lula, Lula".

Lula vestiu um terno azul e estava sem gravata. Janja usou um vestido da estilista Helô Rocha, com bordados feitos por moradoras de Timbaúba dos Batistas, uma cidade da região do Seridó, no sertão do Rio Grande do Norte, conforme Universa adiantou.

Em relacionamento desde o fim de 2017, tornado público apenas em 2019, Janja foi uma das pessoas que mais participaram da vigília em frente à Polícia Federal quando Lula estava preso em Curitiba e hoje é figura central da campanha presidencial do marido. Os dois moram juntos em São Paulo desde que ele saiu da prisão e têm uma cachorra chamada Resistência.

Em um período de cinco horas em frente ao buffet, a reportagem presenciou quatro manifestações contra o ex-presidente. Antes do início da festa, um homem que passava na rua gritou "Lula ladrão". Depois da cerimônia, uma senhora começou a gritar "fora, ladrão" e a gravar imagens da frente do local. Ela se aproximou da equipe de seguranças e falou: "Não tenho medo de gente do seu tamanho e nem de metralhadora".

Mais tarde, três manifestantes chegaram a gritar para o ex-senador Lindbergh Farias (PT-RJ), que fumava na porta. "Eu sou honesto e você, não", disse um deles. Por volta das 22h, um casal dentro de um carro parou, gritou "ladrão" e "corrupto" e bloqueou a entrada. Os seguranças pediram para que a motorista retirasse o carro. Ela acusou um deles de jogar spray de pimenta, desceu do veículo e se juntou aos três manifestantes que já estavam na porta. Os seguranças chamaram a polícia e o casal decidiu ir embora.

Após a confusão —que durou cerca de dez minutos—, três viaturas da polícia pararam no local.

 

[Uol]


Lavar as mãos
A lavagem deve ser feita frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização.


Não tocar o rosto
Evite encostar as mãos não lavadas na boca, nos olhos e nariz. Essas são as principais portas de entradas do coronavírus no organismo.


Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar
O ideal é usar cotovelo ou lenço. Se utilizar papel, jogue fora imediatamente.


Usar álcool em gel
Se não houver água e sabonete para lavar a mão, use o álcool gel 70%, que é eficiente para matar o vírus e outras possíves bactérias.


Evitar contato se estiver doente
Quem está com sintomas de doença respiratória deve evitar apertar as mãos, abraçar, beijar ou compartilhar objeto. Se puder, fique em casa.

Usar máscara se apresentar sintomas
Quem está com sintomas como tosse e espirro deve usar máscara mesmo sem o diagnóstico confirmado de covid-19.